Politica

Presidente da CMPI das Fake News vai convocar Lula, Dilma e Carlos Bolsonaro

Presidente do colegiado tentará pautar 80 requerimentos pendentes de avaliação, entre eles pedidos de convocação de Carlos, Lula e Dilma

Senador de primeiro mandato, Ângelo Coronel, do PSD da Bahia, jamais pensaria que chegaria ao Congresso já sendo um dos protagonistas da principal Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos primeiros anos do governo Bolsonaro. Presidente da CPMI — sigla correta do colegiado, com o “M” de Mista, devido à composição de senadores e deputados —  das Fake News, Coronel viveu esta semana o mais duro momento das sessões, que quase sempre já rodam na temperatura alta da polarização entre esquerda e bolsonaristas. O clima agora vai esquentar mais ainda. Na próxima terça-feira, 18 de fevereiro, Coronel tentará pautar 80 requerimentos pendentes de avaliação, entre eles os que pedem a convocação de Carlos Bolsonaro, Lula e Dilma Rousseff.

O tumulto da sessão da terça-feira 11 foi causado por um depoente, Hans River, ex-funcionário de uma das empresas suspeitas de fazer disparos massivos e ilegais de mensagens para a campanha de Bolsonaro.

River detalhou como funcionou o esquema, e disse ter trabalhado tanto para a campanha presidencial vitoriosa quanto à de Fernando Haddad — informação que já havia sido revelada pelos repórteres Aiuri Rebello, Flávio Costa e Leandro Prazeres, em outubro de 2018. PSL e PT negam qualquer irregularidade.

O momento mais tenso foi quando River acusou a repórter da Folha responsável pela investigação, Patrícia Campos Mello, de ter tentado seduzi-lo em troca de informações — afirmação que foi rebatida por provas apresentadas pelo jornal.

Em entrevista à coluna, Coronel afirmou que não vê clima para convocar Campos Mello, como tenta o bolsonarista Carlos Jordy, mas sim de River, cuja reconvocação foi pedida pelo próprio Coronel. E anuncia: poderá ordenar a prisão de River caso ele reitere o que disse sobre a jornalista, o que, na visão dele, seria o flagrante de, pelo menos, o crime de falso testemunho.

Foi um dos melhores depoimentos no quesito de esclarecer o modus operandi do envio em massa de mensagens de WhatsApp. Mas houve também momentos degradantes, como quando ele fez chacota ou atacou a honra da jornalista que o entrevistou lá atrás. Este foi sem dúvida o pior momento. O que ele trouxe de utilidade, desta maneira, foi atingido pelo restante.

Por que o senhor apresentou um pedido para reconvocá-lo?

Não pude tomar nenhuma medida contra o Hans naquele momento. Poderia prendê-lo por falso testemunho, o Código Penal é claro. O presidente da CPMI pode dar voz de prisão. Mas, para isso, deveria estar com provas em mãos de que ele mentiu. Só tive acesso aos diálogos dele com a jornalista após o termino da sessão, então não pude fazer nada na hora. Por isso uma reconvocação será fundamental. Para ele confirmar o que disse ou não. Ele disse que no bunker em que ele atuava havia centenas de pessoas trabalhando 24 horas para fazer envios em massa. Foi perguntado se ele tinha acesso àquelas mensagens, se ele sabia do conteúdo. Ele disse que sabia, mas recebia tudo pronto do Lindolfo e da Flávia, donos da empresa. Ambos estão convocados para depor na próxima quarta-feira. Vamos ouvir portanto os dois ex-patrões dele para ver se ele realmente mentiu em todo seu depoimento ou foi apenas uma mentira pontual para difamar a Patrícia.

Foi um dos melhores depoimentos no quesito de esclarecer o modus operandi do envio em massa de mensagens de WhatsApp. Mas houve também momentos degradantes, como quando ele fez chacota ou atacou a honra da jornalista que o entrevistou lá atrás. Este foi sem dúvida o pior momento. O que ele trouxe de utilidade, desta maneira, foi atingido pelo restante.

Por que o senhor apresentou um pedido para reconvocá-lo?

Não pude tomar nenhuma medida contra o Hans naquele momento. Poderia prendê-lo por falso testemunho, o Código Penal é claro. O presidente da CPMI pode dar voz de prisão. Mas, para isso, deveria estar com provas em mãos de que ele mentiu. Só tive acesso aos diálogos dele com a jornalista após o termino da sessão, então não pude fazer nada na hora. Por isso uma reconvocação será fundamental. Para ele confirmar o que disse ou não. Ele disse que no bunker em que ele atuava havia centenas de pessoas trabalhando 24 horas para fazer envios em massa. Foi perguntado se ele tinha acesso àquelas mensagens, se ele sabia do conteúdo. Ele disse que sabia, mas recebia tudo pronto do Lindolfo e da Flávia, donos da empresa. Ambos estão convocados para depor na próxima quarta-feira. Vamos ouvir portanto os dois ex-patrões dele para ver se ele realmente mentiu em todo seu depoimento ou foi apenas uma mentira pontual para difamar a Patrícia.

Como é estar no fogo cruzado entre bolsonaristas e esquerda?

Não posso entrar nesse jogo político. Depois que me elegeram como presidente, tenho que ser independente. Fui eleito por unanimidade pelo meu perfil independente. Não estou lá para ser tendencioso. Sei que há pedidos de convocação que não têm nada a ver com o tema da CPMI. Não vejo como Dilma Rousseff tenha a ver com a CPMI. Ela é para investigar a eleição de 2018. Se sair do objeto, vira embate.

FONTE: ÉPOCA

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com