Tesouro Nacional reconhece o equilíbrio das contas de Rondônia – Por Silvio Persivo

Escrito por
Atualizado: outubro 11, 2019

É sempre melhor ficar calado. Ainda mais quando as visões são distorcidas. “Ninguém falaria tanto na presença dos outros se soubesse quantas vezes se é mal interpretado” (Goethe). 

TESOURO NACIONAL RECONHECE O EQUILÍBRIO DAS CONTAS DE RONDÔNIA 

A versão preliminar do Boletim de Finanças de Entes Subnacionais 2019 foi divulgada pela Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Economia (STN) no final da primeira quinzena de agosto. No documento, o Ministério veicula o resultado de seus estudos anuais sobre a condição das finanças de Estados e Municípios. O Boletim apresenta a situação das unidades da federação em uma escala que vai de A a D, conforme a sua capacidade de pagamento: os Estados que possuem A detém situação fiscal mais robusta, e os Estados com D possuem situação fiscal comprometida, com alto endividamento, baixa liquidez e reduzido nível de poupança. A  STN divulgou equivocadamente que a Capacidade de Pagamento (Capag) de Rondônia havia sido rebaixada de B para C, mas, depois, com documentação comprovando a saúde fiscal do Estado, o Tesouro Nacional reconheceu o equívoco e alterou o Boletim de Finanças dos Entes Subnacionais 2019. O Boletim reafirma, nas páginas 129 e 130, a manutenção da Capag B para o Estado de Rondônia. O reconhecimento da Secretaria do Tesouro Nacional em relação à situação financeira de Rondônia reafirma que o Estado é um dos melhores posicionados no cenário nacional quanto ao equilíbrio de suas contas públicas, sendo uma das 11 Unidades da Federação habilitadas a receber aval da União em eventuais operações de crédito.

PROJETO SONORA TEM COMPOSITORAS LOCAIS MOSTRANDO SEUS TRABALHOS

Nos dias 12 e 13 de outubro (sábado e domingo) acontece o Festival Internacional de Compositoras – SONORA, em Porto Velho, com programação gratuita para o público em geral. O SONORA tem como principais objetivos dar visibilidade e legitimar a presença da mulher compositora no cenário musical, estimulando o seu fortalecimento no âmbito individual por meio da coletividade.  O encontro será na Casa de Cultura Ivan Marrocos, situada na Carlos Gomes com Caiari, das 16h00 às 21h00 e são previstas 19 compositoras. O projeto Sonora surgiu em 2016, organizado por um grupo de mulheres. Em sua primeira edição aproximadamente 200 compositoras participaram do festival em seis país, sendo eles: Brasil, Portugal, Irlanda, Espanha, Argentina e Uruguai. Desde então a rede tem se expandido e hoje totaliza 15 países e 62 cidades. 

 

PRIMEIRO FOOD TRUCK DE CHOPE DE PORTO VELHO

Neste sábado, a partir das 17h, no Espaço Alternativo, será a festa de inauguração do “Estação do Chopp”, o primeiro Food Truck de chope de Porto Velho. E a festa promete, pois, irá contar com a música de Tom Brito, com o melhor da Mpb, sertanejo, pop e rock.  O Aquino Alves também nos informou que o chope é de primeira, o apreciado Coronel Church. Não dá para perder! 

PRODUÇÃO DE MOTOCICLETAS DO PIM MANTÉM AUMENTO DA PRODUÇÃO 

A produção de motocicletas do PIM avançou de novo em setembro, como reflexo da aceleração da média diária de vendas, segundo o levantamento da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares). O desempenho levou a entidade a manter sua projeção inicial de encerrar o ano com 1.100.000 motos e alta de 6,1% em relação a 2018 (1.036.788).  A produção em setembro foi de 92.894 unidades, volume 15,1% superior ao registrado no mesmo mês do ano passado (80.687), mas 19% abaixo do obtido em agosto (114.738), que contou com um dia útil a mais. Em nove meses, saíram 836.450 motocicletas das linhas de montagem, gerando alta de 7,5% em relação ao mesmo período de 2018 (777.779). O resultado se espelhou nos números das vendas no atacado e no varejo. O volume comercializado entre fabricantes e concessionárias somou 95.282 unidades em setembro, alta de 24,2% ante as 76.695 vendidas no mesmo mês de 2018. Na comparação com agosto, houve uma queda de 9% (104.649). No acumulado, as fabricantes venderam 816.064 unidades, 14,7% a mais do que em 2018 (711.644).

RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO PRECISAM SER RECICLADOS 

Se o resíduo gerado na construção em um único dia fosse reciclado – e 98% são plenamente reversíveis – seria possível construir 2.134 Maracanãs. A informação é da Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição (Abrecon), que estima uma produção diária de 520 kg de resíduos por habitante no país – valor em consonância com o índice do Ministério do Meio Ambiente. Porém, das cerca de 290 toneladas de entulho geradas diariamente no país, apenas 21% são reciclados. E, ao contrário do que se possa imaginar, os principais responsáveis por isso não são as obras de maior porte. “As grandes obras, feitas por grandes construtoras, sofrem bastante fiscalização por parte dos órgãos públicos e têm políticas de sustentabilidade”, explica o engenheiro ambiental do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea/PR) Luiz Guilherme Grein Vieira. Além disto, essas empresas têm interesse em ter empreendimentos com certificação de sustentabilidade, o que exige medidas para redução dos impactos ambientais da obra e do produto final, incluindo metas de reciclagem de resíduo. O problema, então, recai sobre o pequeno gerador de entulho. “Trata-se do pessoal que faz uma reforma no fim de semana, ou que está construindo uma laje em casa sem alvará de construção ou engenheiro responsável e, obviamente, com poucos recursos”, aponta Vieira. Aliás, dados do Comitê de Incentivo à Formalização na Construção Civil indicam que aproximadamente 50% das obras no Brasil são irregulares, ou seja, não possuem responsável técnico e/ou possuem trabalhadores sem vínculo empregatício. Para o presidente da Abrecon, Hewerton Bartoli, essas as obras produzem entre 60 a 70% dos resíduos da construção civil – que têm grande probabilidade de ser descartado de maneira incorreta. De acordo com os especialistas, um motivo para isso é a falta de educação ambiental dos próprios produtores de entulho.

AUTOR: SILVIO PERSIVO –  COLUNA TEIA DIGITAL

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.