Teia Digital

Supermercados crescem com a crise do Covid-19 – Por Sílvio Persivo

Aos meus amigos, que são as verdadeiras estrelas. “…nada se perde abandonando uma estrela para abraçar um amigo” (Euclides da Cunha). 

XV JORNADA CIENTÍFICA CEDSA

O Prof. Dr. Haroldo de Sá Medeiros, Coordenador da XV Jornada Científica CEDSA, informando que as inscrições para a XV Jornada Científica CEDSA estão abertas. O período de inscrição é de 20 de julho a 29 de outubro de 2020. O site para as inscrições é https://www.even3.com.br/xvjornadacedsa/. As inscrições são gratuitas, havendo a opção de doação para contribuir com a realização do evento. Nesta edição, o evento será totalmente online, incluindo palestras, mesas redondas, reuniões e as apresentações dos trabalhos. Aceitamos artigos científicos, resumos expandidos e comunicados de pesquisa para seis áreas temáticas, que são (1) Gestão, Economia e Sustentabilidade, (2) Estado e Sociedade, (3) Educação, (4) Trabalho e Desenvolvimento, (5) Biologia, Saúde e Território e (6) Tecnologias e Inovação. Para mais informações, visitem o site http://www.jornadacedsa.unir.br/ ou entrem em contato por [email protected].

A INTERMINÁVEL NOVELA DA TRANSPOSIÇÃO 

Agora é o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia-Fecomércio/RO, Raniery Araujo Coelho, que a pedido de Antônio de Barros Neto, o popular Poeta da Transposição, presidente da Associação dos Servidores em Transição do ex-Território Federal de Rondônia para o Estado de Rondônia- (ASSERTRON), vai solicitar apoio do governador Marcus Rocha, de senadores e deputados federais para que a transposição dos servidores seja realizada. É uma novela interminável na qual se posterga os direitos já reconhecidos de servidores públicos pioneiros de Rondônia. O que é mais injusto é que os de Roraíma e Amapá já tiveram a transposição feita, enquanto Rondônia, segundo dizem por falta de apoio político, de inação de sua bancada, continua a míngua do que já deveria ter sido feito. O pior é que, na sua quase totalidade, são pessoas que, realmente, precisam. Uma grande quantidade de pessoas com mais de 65 anos e muitos com doenças terminais. O pior é que se usa de tudo como desculpa para protelar os direitos. Para se ter uma ideia este ano, de janeiro para cá, apenas 64 pessoas tiveram seus direitos reconhecidos. E a desculpa é a pandemia. Ora, fica muito mais fácil de trabalhar mais, de acelerar os trabalhos sem ter atendimento, sem ter maior pressão. Mas, as pessoas estão, cada vez mais, morrendo sem receber o que lhes é devido. 

SUPERMERCADOS CRESCEM COM A CRISE DO COVID-19

O setor supermercadista brasileiro na comparação com o mesmo período de 2019,  de  janeiro a maio, segundo o Índice Nacional de Vendas Abras acumulou uma alta real de 5,63%.  No mês de maio, o setor registrou um crescimento de 11,93% em relação a maio do ano anterior, e uma alta de 3,75% na comparação com abril. Os valores são deflacionados pelo IPCA/IBGE. Pelo que se deduz dos dados da entidade,  que consideram a  pandemia do coronavírus (covid-19) e o isolamento social, as pessoas intensificaram suas compras de abastecimento para estocar produtos e sair menos de casa. Por isto, o aumento nas vendas nos últimos meses já era esperado pelos empresários do setor. No Amazonas, a estimativa é de que o setor supermercadista teve um acréscimo de 10% em função da pandemia. Já em Rondônia as estimativas são de que houve um crescimento de 14,2% em termos nominais. 

VENDAS DA LINHA AMARELA SE EXPANDEM NA CRISE 

Na contramão de outros segmentos da economia muito afetados com a pandemia, as fabricantes de máquinas da Linha Amarela tiveram um crescimento nas vendas de 35%, de janeiro a maio, em comparação  ao mesmo período do ano passado, segundo a Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Foram comercializados 8 mil equipamentos no período, entre escavadeiras, carregadeiras, retroescavadeiras, compressores, gruas, guindastes e plataformas aéreas. A expectativa é que neste ano a venda de máquinas da Linha Amarela alcance 20 mil unidades, o que representaria aumento de 15% em relação a 2019. O aumento se deve à evolução nas vendas para o agronegócio, construção e licitações públicas.

EMBARQUE RECORDE DE SOJA NO CORREDOR DE EXPORTAÇÃO DO PARANÁ 

O diretor presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, anunciou que um novo embarque recorde no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá. O navio E.R Bayonne está carregando 104,2 mil toneladas de farelo de soja. Este é o maior volume de granel de exportação já movimentado pelo porto. É o segundo carregamento do ano, e da história, que passa das cem mil toneladas. O E.R Bayonne tem bandeira da Libéria. Assim como o Pacific South que, em junho, carregou pouco mais de 103 mil toneladas. O farelo de soja carregado em Paranaguá será levado para o porto de Amsterdã, na Holanda. A operação no porto paranaense deve ser concluída até sexta-feira (24), data prevista para a saída do carregamento. São quatro operadores envolvidos no carregamento (Céu Azul, Gransol, Cotrigraçu e Coamo) e o granel vem de cinco exportadores: Agrária, Cocamar, Cargill, Coamo e ADM. A nota tem como fonte a Revista Amanhã. 

AUTOR:  SÍLVIO PERSIVO –  COLUENA TEIA DIGITAL

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com