Teia Digital

Rondônia se destaca na produção de peixes naturais – Por Sílvio Persivo

Nem sempre quem bate no tambor entende de música. “É um erro popular muito comum acreditar que aqueles que fazem mais barulho a lamentarem-se a favor do público sejam os mais preocupados com o seu bem-estar” (Edmund Burke). 

CORECON/RO TEM NOVOS CONSELHEIROS E DIRETORES

O Conselho Regional de Economia do Estado de Rondônia-CORECON/RO, em Sessão Plenária Ordinária, realizou a posse dos novos Conselheiros efetivos e suplentes, para o triênio 2020/2022: Conselheiros Efetivos – Francisco Aroldo Vasconcelos de Oliveira, Alex Rilie Moreira Rodrigues e Avenilson Gomes da Trindade, tendo como suplentes os Economistas, Wilson Cardoso, Márcio Freitas Martins e Paulo Luiz Ribeiro dos Santos. Também foram eleitos e empossados como Presidente e Vice-Presidente para a gestão 2020, os Conselheiros Noel Leite da Silva e João Batista Teixeira de Aguiar, respectivamente. A diretoria eleita tem como metas, dar continuidade aos trabalho contribuindo pela melhoria da instituição que representa a categoria dos Economistas no Estado de Rondônia,  buscando que o Economista seja reconhecido e identificado.

RONDÔNIA SE DESTACA NA PRODUÇÃO DE PEIXES NATURAIS

Rondônia, segundo o anuário PeixeBR da piscicultura de 2019, com uma produção de 72.800 toneladas, em 2018, é o maior produtor de peixes naturais do País. Depois, no ranking, aparecem o Mato Grosso, com 52.000 toneladas e o Maranhão, com 35.200 toneladas. Os peixes de cultivo de Rondônia são reconhecidos pela boa qualidade resultado dos cuidados tomados antes e durante a despesca, na retirada dos peixes dos tanques de criação, quando alcançam o peso comercial. Apesar do sucesso que isto representa, no entanto, é preciso acentuar que a cadeia produtiva ainda não se consolidou. É certo que vendemos pescado para fora, mas, a produção ainda é restrita a uma espécie (tambaqui) e a industrialização, que agrega muito valor ao produto, ainda é incipiente. 

PIRARUCU DE MANEJO TEM PREÇO MÍNIMO FIXADO

Foi publicada, no final do ano passado, a Portaria Nº 313, no Diário Oficial da União, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que atende à reivindicação dos pescadores, para estabelecer preços mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio). Entre eles, o preço mínimo do pirarucu de manejo que, agora, mesmo se a negociação entre o pescador e o comprador do conhecido pescado não alcançar o preço mínimo estabelecido de R$7,83 o quilo, a política pública garante o pagamento da diferença ao produtor. A portaria com os novos preços mínimos relacionou o peixe a 16 outros produtos que também poderão receber as subvenções. Mesmo não sendo o ideal os pescadores consideram a fixação uma vitória da classe.

PRODUÇÃO INDUSTRIAL DO AMAZONAS, NO ANO, CRESCE

A produção industrial do Amazonas, registrada, em novembro,  decepcionou, em relação à outubro, permanecendo estagnada. Segundo a  pesquisa mensal do IBGE para o setor, em relação a outubro, o ritmo da atividade industrial amazonense foi zero, contra uma alta de 2,3%, no levantamento anterior. No confronto com novembro de 2018,  porém, o resultado foi melhor (+11,5%) e bem melhor ainda em relação ao ano anterior (+6,1%). A indústria do Amazonas também engatou seu quarto mês seguido no azul na variação acumulada de 2019, tendo crescido 3,5%. Em 12 meses, a elevação foi de 2,2%. Apesar da estagnação, o incremento na variação mensal  no Estado foi bem acima da média nacional (-1,2%), mas, deslocou o estado da segunda para a quarta posição entre as 14 unidades federativas pesquisas pelo IBGE. Ficou atrás de Rio de Janeiro (+3,7%), Ceará (+3,4%) e Mato Grosso (+2,7%). Os piores resultados foram obtidos pelo Paraná (-8%), Espírito Santo (-4,0%) e Pernambuco (-4,1%).  

NOVO SALÁRIO MÍNIMO PARA 2020

O presidente Jair Bolsonaro anunciou que reajustará o salário mínimo para 2020 dos atuais R$ 1.039,00 para R$ 1.045,00. O novo valor vale a partir de 1º de fevereiro. A definição será enviada ao Congresso por meio de uma nova MP (Medida Provisória) e o reajuste, em mais R$ 6,00,  se deve à inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que fechou 2019 com alta de 4,48%, de acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estima-se que, neste caso, o impacto do reajuste no Orçamento da União para 2020 será de R$ 2,13 bilhões.

GOVERNO REVISA CRESCIMENTO DO PIB PARA 2019/20

A nova estimativa do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante um ano) de 2019 foi revisada de 0,90% para 1,12%. Para 2020, a previsão é que o PIB tenha expansão de 2,40%, ante a previsão de 2,32%, segundo as previsões constantes do Boletim Macrofiscal, da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia. 

COMO É DIFERENTE O AMOR EM PORTUGAL 

A Itália, ao contrário do que se pensa, também existe o “Bolsa Família”, com o nome de Renda de Cidadania ( Reddito di Cittadinanza) mas, o de lá tem um sistema anti-fraude implícito: o  beneficiário, ou dos membros da família, tem que trabalhar para o município, pelo menos, oito horas por semana. Ou seja, não há direito sem obrigação. 

AUTOR: SÍLVIO PERSIVO –  JORNALISTA –  COLUNA TEIA DIGITAL

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com