Teia Digital

Prefeitura de Porto Velho abre seis frentes de trabalho – Por Sílvio Persivo

No passado, como no presente, o brilho do ouro manda. “Aquele que tem ouro faz e consegue tudo que quiser no mundo e no fim ainda o usa para enviar almas ao paraíso” (Cristóvão Colombo). 

APLICATIVO MENOR PREÇO MONITORA COMBUSTÍVEIS 

Operado em Rondônia pela Secretaria de Estado de Finanças (Sefin), o aplicativo “Menor Preço” pretende monitorar os preços dos combustíveis nos postos, definindo os melhores e os piores para os consumidores escolherem bem na hora de encher o tanque do carro. O titular da Sefin, auditor Luis Fernando Pereira da Silva, disse que este é um sistema de apoio e defesa do consumidor, bem como de incentivo à livre  concorrência. aplicativo define num raio de cerca de sete quilômetros a relação de postos existentes, endereços e os preços que cada um pratica, cabendo, por fim, ao consumidor optar por aquele que melhor atende à sua necessidade. “Basta, para tanto, baixar o App na loja de aplicativo e navegar com esse objetivo”, disse destacando que qualquer pessoa pode ter acesso ao aplicativo e usufruir de seus benefícios. Um dado importante para a manutenção em dia do aplicativo, segundo o secretário, é a exigência da Nota Fiscal na hora de abastecer o carro, visto que a informação relativa aos preços da nota é que alimenta o banco de dados da plataforma. Assim que a nota fiscal é emitida, o valor do produto é carregado para o aplicativo e os preços são atualizados em tempo real. Ele explicou que, na verdade, o App Menor Preço pode ser utilizado para pesquisa de outros produtos, mas, no caso da plataforma rondoniense foi criado um ícone específico sobre os combustíveis, bastando, por conseguinte, que o consumidor clique no ícone, navegue e faça suas opções de compra.

PREFEITURA ABRE SEIS FRENTES DE TRABALHO 

A Prefeitura de Porto Velho, nesta sexta-feira (06), iniciou seis frentes simultâneas de serviços na capital, com os trabalhos de recapeamento, tapa buracos, drenagem, encascalhamento, preparação de base e limpeza de canal em ruas e avenidas. Os serviços foram iniciados com a preparação de base para o recebimento de asfaltamento da rua 13 de Setembro, localizada no bairro Lagoa, que deve ficar preparado para ter asfaltamento. Também iniciaram-se os trabalhos de encascalhamento nas ruas Tufão e Castanheira no bairro Aparecida, bem como  os serviços de drenagem na rua Maria Natmaer no bairro 22 de Dezembro. Também, acontecem os serviços de implantação das caixas de boca de lobo na rua Rafael Vaz e Silva com rua Tabajara. E continuam os serviços de limpeza de canal da rua Capão da Canoa no bairro Três Marias. Por fim para minimizar os buracos no asfalto da capital, assim evitando congestionamentos e acidentes e garantindo a melhor fluidez do trânsito em Porto Velho, nove vias espalhadas em diversos pontos da capital receberão os serviços de tapa buraco, com a aplicação de 40 toneladas de massa asfáltica. Os trabalhos que estão sendo realizados mobilizam as equipes da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Serviços Básicos (Semisb) e Subsecretaria de Obras e Pavimentação (Suop).

PORTO VELHO E MANAUS TEM AUMENTO DO ENDIVIDAMENTO EM FEVEREIRO 

A pesquisa PEIC (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), elaborada pela Fecomércio Rondônia, em conjunto com a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), para Porto Velho aponta que, em fevereiro, cresceu o endividamento das famílias em 2,2% em relação à janeiro, passando de 53,4% para 54,6%, ou seja, são 86.559 endividados. O aumento está na contramão da média nacional. De vez que, em âmbito nacional, o indicador de endividamento das famílias brasileiras diminuiu de 65,3% para 65,1%, entre janeiro e fevereiro de 2020. Mas, o indicador apontou expansão na comparação com a marca de 12 meses atrás (61,5%), ao contrário de Porto Velho onde há uma queda de -2,67%. O interessante é que, segundo divulgado pela Fecomércio Amazonas, a sondagem feita em Manaus também aponta que 84,6% das famílias manauenses entrevistadas no mês passado (529.266) estão endividadas, número bem acima dos de janeiro de 2020 (80% e 499.674) e de fevereiro de 2019 (73% e 450.239).  É o maior número na série histórica de 13 meses fornecida pela CNC, após três retrações seguidas no indicador. Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, a tendência observada no endividamento geral das famílias configura uma perspectiva de aquecimento do consumo e avalia que o aumento de alguns indicadores não deve ser visto, necessariamente, como negativo.

BANCO REGIONAL DE BRASÍLIA VAI ATENDER O SETOR PRODUTIVO 

Na última quinta-feira, dia 5 de março, o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia e vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio-CNC, Raniery Araujo Coelho, acompanhado de seus conselheiros, recebeu, na sede da entidade, o presidente do Banco Regional de Brasília-BRB, Paulo Henrique Costa e Dario Garcia, diretor de Redes e Canais do BRB, que foram fazer na entidade uma apresentação institucional dos produtos e serviços. O presidente Paulo Henrique Costa disse que o BRB é um banco novo, com 53 anos, que promove o desenvolvimento por meio do setor produtivo. Segundo Costa, o apoio da Fecomércio/RO é fundamental para sua instalação, na medida em que aporta nos estados por meio de parcerias estratégicas que facilitam o atendimento  à indústria e comércio. O BRB, de início, pretende atender em quatro locais distintos em Porto Velho. 

SEM AULAS 

Por causa da instabilidade na rede elétrica no Campus José Ribeiro Filho, em Porto Velho, a Reitoria,  suspendeu as aulas da UNIR, nos dias 05 e 06 de março, e também as atividades administrativas. Por falar em UNIR, o DCE da universidade distribuiu nota reclamando do transporte público. Os ônibus para o Campus, além de serem antigos, vez por outra, estão deixando os alunos na mão. Além disto, demoram demais e sempre acabam muito lotados nos horários mais necessários para os alunos. 

BOVESPA CAI E DÓLAR SOBE 

A Bolsa de Valores de São Paulo despencou e operou abaixo dos 100 mil pontos na manhã de sexta-feira. Este é um efeito  da queda nas bolsas europeias e asiáticas chegando, às 10h15, o índice operar com 97.901 pontos e uma queda de 4,2%. O dólar, pelo 13º dia seguido, operou em alta, cotado a R$ 4,67.”

AUTOR: SÍLVIO PERSIVO –  COLUNA TEIA DIGITAL

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com