Pesquisa revela que os robôs vão substituir cerca de quatro milhões de trabalhadores – por Silvio Persivo

Escrito por
Atualizado: setembro 22, 2017

E se o que faz bem for ruim? “Só o que faz bem ao homem pode fazê-lo feliz” (Santo Agostinho).

ABERTAS INSCRIÇÕES PARA EDITAIS DE ARTE E CULTURA

Estão abertos quatro editais de fomento à cultura e arte, nas áreas de teatro, fotografia, produção musical e literatura. O prazo para apresentação dos  projetos, segundo Fabiano Barros, diretor de cultura da Superintendência de Estado da Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel), termina dia 20 de outubro, para as categorias teatro, fotografia e produção musical e, para produção literária a data será dia 28 de outubro. Ao todo serão R$ 540 mil distribuídos como premiação aos vencedores. Os editais, dúvidas, informações sobre as premiações estão disponíveis no site http://sispar.sistemas.ro.gov.br. No site consta histórico da proposta, modelos de descrição de projetos, público alvo, além dos formulários de inscrições dos projetos. Segundo Barros, “Os editais trazem uma modernização para gerir os recursos públicos na questão da cultura. A ideia é atender todos os segmentos culturais”. O governo, disse, institucionalizou o sistema estadual de cultura e criou o Plano Estadual de Cultura e o Fundo Estadual de Políticas Públicas para a Cultura, que foi constituído com 52 metas, entre elas a criação do Programa de editais.

 COMUNIDADE MARAVILHA NÃO SE VENDE

A Rede Jubileu Sul Brasil e a Associação Arirambas, em conjunto com a Universidade Federal de Rondônia (UNIR), por meio da Pró-Reitoria de Cultura, Extensão e Assuntos Acadêmicos (Procea) e Programa de Extensão PROEP, iniciarão, a partir de hoje, dia 23 de setembro, as atividades do projeto Articulação dos Sujeitos no Território, que tem apoio do Instituto das Irmãs da Santa Cruz. As atividades acontecerão em etapas, na sede da Arirambas, Comunidade Maravilha, localizada cinco quilômetros depois da ponte do rio Madeira, na Estrada da Beira, em Porto Velho, Rondônia. A programação do projeto envolve oficina de ecojóias, debate sobre a resistência das comunidades ribeirinha frente aos grandes projetos, como as hidrelétricas, e trilha pedagógica. A proposta é que estas atividades se complementem, mostrando a importância do ciclo da natureza e dos moradores das comunidades. O projeto está com inscrições abertas, por meio do e-mail proepunir@mail.com,e contará com 40 vagas. Os/as participantes receberão certificados ao final. Segundo o coordenador do PROEP, professor Doutor Luis Fernando Novoa Garzon, com o conjunto das oficinas, intervenções e articulações que ocorrerão entre 23 de setembro e 7 de outubro de 2017 na comunidade Maravilha pretende-se fazer com que o evento  seja um campo de experimentação da resistência cotidiana aos grandes projetos e aos processos de grilagem urbana e rural, pois a comunidade Maravilha, depois de afetada pelos desbarrancamentos e pela perda da agricultura de várzea, está acossada de um lado pela incorporação/especulação imobiliária e por outro pelos desmatamentos e queimadas promovidas por grileiros.

IRMÃOS GONÇALVES GANHAM PRÊMIO “BRASIL MAIS INCLUSÃO”

A Câmara dos Deputados concedeu, na última quarta-feira (20),  concedeu o Prêmio “Brasil Mais Inclusão” ao grupo empresarial Irmãos Gonçalves. A indicação foi da deputada federal, Mariana Carvalho. O prêmio é uma homenagem a empresas, entes federados, entidades ou personalidades que tenham realizado ações em prol da inclusão de pessoas com deficiência ao mercado de trabalho. Os dez vencedores do “Prêmio Brasil Mais Inclusão” são contemplados com diplomas de menção honrosa. Emocionado, o presidente do Sinalimentos – entidade filiada a Fecomércio-RO -, empresário João Gonçalves, destacou a honra de receber este prêmio. “Durante toda a minha vida, eu sempre procurei valorizar as pessoas, e a inclusão de deficientes no mercado de trabalho. Com essa homenagem, a gente fica com mais força, e com mais vontade de ajudar as pessoas que estão do lado da gente”.

NO MELHOR MÊS DE AGOSTO DOS ÚLTIMOS ANOS AMAZONAS SE DESTACA NO NORTE

O Amazonas na região Norte teve o melhor desempenho no emprego formal em agosto. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram criadas 1.357 vagas no último mês, um acréscimo de 0,34 % em relação a julho. O setor de Serviços foi o principal responsável por este resultado, com 860 novas vagas. A segunda melhor performance foi da Indústria da Transformação, que gerou 475 postos. Também tiveram resultados positivos a Agropecuária, que teve acréscimo de 58 empregos formais, o Comércio, com 23 novas vagas, os Serviços Industriais de Utilidade Pública, com 12 vagas a mais e a Administração Pública, que fechou o mês com saldo positivo em 6 postos. A Construção Civil foi a única que teve retração, com o fechamento de 77 postos. O salário médio de admissão também cresceu no Amazonas. Passou de R$ 1.334,44 em julho para R$ 1.379,45 em agosto. O acréscimo, de R$ 45,01, representa uma variação de 3,37%. Dos sete estados do Norte, cinco apresentaram aumento no emprego.  Além do Amazonas, tiveram desempenho positivo Acre, Tocantins, Rondônia e Roraima. Apenas Amapá e Pará fecharam postos. O resultado foi um acréscimo de 3.275 vagas na região.  Foi, em termos nacionais, o quinto mês seguido com criação de postos de trabalho com carteira assinada no país e, pela primeira vez, desde 2014, as contratações superaram as demissões no mês de agosto. Deste modo, foi o melhor mês de agosto em três anos.

A ESTRADA DOS DESASTRES

Não é somente a BR-364/Cuiabá/Porto Velho que se tornou uma estrada destinada a ser perigosa, pois, a Belém-Brasília converteu-se também numa verdadeira linha de produção de desastres. Com dados dos últimos três anos, o Estado de São Paulo notícia que, no trecho entre os Estados de Goiás e Tocantins,  em 2014, ano em que a estrada foi concedida, 211 pessoas morreram e outras 2.446 ficaram feridas em acidentes na BR-153.  Em 2015, foram registradas mais 170 vítimas fatais e 2.066 feridos no mesmo trajeto. No ano passado, 184 mortos e 1.923 feridos. Em média, a cada dois dias uma pessoa morre e dez ficam feridas em acidentes que se espalham pela estrada.

ROBÔS E AI AGRAVAM O PROBLEMA DO EMPREGO

Uma pesquisa elaborada pela empresa de mercado YouGov e pela Royal Academy of Arts, prevê que os robôs vão substituir cerca de quatro milhões de trabalhadores em seus serviços, ao longo da próxima década, no Reino Unido (UK). Isto representa 15% da força de trabalho do país. É possível notar a integração de máquinas robóticas na força de trabalho, suprindo demandas de diferentes setores, mas, se as novas tecnologias trazem  benefícios que não podem ser ignorados também gera impactos sobre a sociedade que exigem maior atenção. Ainda mais que os líderes empresariais  acreditam que a automação e a inteligência artificial (AI) afetarão muito mais ainda a indústria nos próximos anos. Mais de 20% dos empregadores em finanças, contabilidade, transporte e distribuição afirmaram esperar que mais de 30% dos empregos da área sejam automatizados até 2027, havendo a substituição da mão de obra humana pelos robôs. Segundo o secretário-geral da Federação Sindical Britânica (TUC), “O Reino Unido deve aproveitar ao máximo as oportunidades econômicas que as novas tecnologias oferecem” e concluiu “O robô e a AI podem nos deixar produzir mais por menos, aumentando a prosperidade nacional. Mas, precisamos falar sobre quem se beneficia – e como os trabalhadores conseguem uma parcela justa”.

 

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *