Teia Digital

Cidade limpa em prol do Turismo Sustentável – Por Silvio Persivo

É preciso construir sempre. “A alma não se salva só com palavras. São necessárias obras, e como!” (Antonio Gramsci). 

COMPLEXO ESPORTIVO JOÃO SALDANHA SERÁ REFORMADO 

Foi assinada na quarta-feira (11), em Porto Velho, a ordem de serviço para a modernização do Complexo Esportivo João Saldanha, em Guajará-Mirim. A obra, deve iniciar em até dez dias, tem o objetivo de garantir para a população da Pérola do Mamoré um local apropriado para a realização dos eventos esportivos. Segundo o governador, coronel Marcos Rocha, “Guajará-Mirim é uma cidade com muitas belezas naturais, o que atraí turistas de todos os lugares. Uma cidade de grandes encantos deve receber melhorias. Estamos iniciando as obras no estádio para que as futuras partidas de futebol, ou outro grande evento, aconteçam em conformidade com os órgãos de segurança pública e sanitária”, disse. Com capacidade para três mil pessoas, a obra no João Saldanha deve contemplar as arquibancadas, banheiros, vestiários, torres de  iluminação, alambrado, muro de limites e o campo. O prazo para entrega dos serviços contratados para o Complexo Esportivo é de 180 dias. O valor licitado e contratado é de R$ 1.127.902,19, recurso oriundo da União, através do Ministério do Esporte, por intermédio da Caixa Econômica.

CIDADE LIMPA EM PROL DO TURISMO SUSTENTÁVEL 

O vice-presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia-FECOMÉRCIO/RO, Gladstone Frota, com o conselheiro José Nelson de Oliveira e os diretores do SESC/SENAC, João Daniel e Giselle Araujo dos Santos, recebeu na manhã desta sexta-feira, na Sala Francisco Linhares Teixeira, na sede da entidade, o secretário estadual de Turismo, Gilvan Junior, e o prefeito de Candeias do Jamari, Lucivaldo Fabrício de Melo, juntamente com a secretária de Meio Ambiente, Márcia Teixeira, o secretário de Educação, José Ramos de Mello, e a secretária de Cultura, Ivanilde de Araújo Lima, com os vereadores Zilmar Lima Domingos Batista e Raimundo de Assis Teixeira, além do tenente Danilo Fortes Melo e do cabo Hilber Aparecido de Oliveira, do Batalhão de Polícia Ambiental para apresentar o Projeto Cidade Limpa em Prol do Turismo Sustentável, que deve ser iniciado por Candeias do Jamari. Na ocasião a consultora executiva da Fecomércio, Cileide de Macedo, fez uma explanação sobre o projeto explicando que este surgiu da necessidade de fortalecer o turismo, que não se pode isolar do meio ambiente e dos cuidados com a cidade. Contou sobre a experiência positiva e o sucesso alcançado em Jaci-Paraná, o que resultou na expansão para outras áreas. Agradeceu aos parceiros e, em especial, ao Governo do Estado, que através do Setur, pretende tornar o projeto estadual. O secretário Gilvan Junior afirmou que o turismo possui um potencial muito grande em Rondônia e que o que se precisa fazer é o que está sendo feito agora, envolver a sociedade, construir o que se chama de governança. 

CAI EM FEVEREIRO RECEITA TRIBUTÁRIA DO AMAZONAS

A receita tributária do Amazonas caiu 3%, entre janeiro (R$ 1.03 bilhão) e fevereiro de 2020 (R$ 1 bilhão), sem descontar a inflação. Em relação a fevereiro de 2019 (R$ 933,81 milhões), houve uma alta nominal de 7,52% – contra os 18,90% ao ano anterior. No bimestre, o recolhimento passou de R$ 1,80 bilhão (2019) para R$ 2,03 bilhões (2020), uma diferença de 13%. Os dados são da Sefaz (Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas). Responsável por 90% das receitas estaduais, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) também perdeu força na passagem de janeiro (R$ 919,35 milhões) para fevereiro (R$ 915,75 milhões), mas alcançou crescimentos acima da média na comparação com fevereiro de 2019 (R$ 834,73 milhões ) e na variação acumulada (R$ 1,83 bilhão)- com altas respectivas de 9,71% e de 13,90%. O segundo tributo de arrecadação própria, o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores) voltou a cair,  depois de janeiro (-1,96%). Foram R$ 26,32 milhões (2020) contra R$ 27,60 milhões (2019), gerando uma queda nominal de 4,64%, em janeiro. Também caiu no bimestre (-3,13%), com as receitas passando de R$ 63,32 milhões (2019) para R$ 61,34 milhões (2020). Já o ITCMD (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação), o menor da arrecadação, foi o tributo com maiores incrementos percentuais. Na comparação de fevereiro de 2020 com igual mês de 2019, o valor passou de R$ 649,72 mil (2019) para R$ 1,49 milhão (2020), uma diferença de 129,64%. No acumulado, a expansão foi de 96,88%, com R$ 2,67 milhões (2020) contra R$ 1,36 milhão (2019).

TAXA DE INVESTIMENTO DE 2019 FOI LIGEIRAMENTE MAIS ALTA

Os dados do IBGE confirmaram que o PIB brasileiro teve uma alta de 1,1% em 2019, de acordo com as expectativas dos analistas formadas nos meses finais do ano. Entre os três grandes setores de atividade, o destaque ficou para os serviços e a agropecuária, ambos com alta de 1,3%. O desempenho da indústria foi menos favorável: 0,5%. Vale notar que, ainda sob efeito dos desastres ambientais, a indústria extrativa teve uma queda de 1,1%. A indústria de transformação alcançou desempenho muito modesto: uma alta de 0,1%. Entre os componentes da demanda agregada, o consumo das famílias e a formação de capital foram os destaques com altas de 1,8% e 2,2%, respectivamente. O consumo do governo teve variação de -0,4%. No front externo, as exportações recuaram 2,5% e as importações registraram uma alta de 1,1%. Por sua vez, a taxa de investimento fechou o ano em 15,4%, ligeiramente acima do observado no ano anterior (15,2%).

AUTOR: SILVIO PERSIVO –  COLUNA TEIA DIGITAL

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com