Teia Digital

Banco Central registra crescimento de 2,15% em julho – Por Silvio Persivo

Sejamos as duas coisas. “A criação, em parte, é a habilidade de superar as grandes e as pequenas distrações. Cada día se escolhe entre ser um artista e ser um diletante” (E.B. White).

CONECTA SEBRAE AGROLAB AMAZÔNIA TERÁ PARTICIPAÇÃO DE MARIANA VASCONCELOS

O Conecta Sebrae Agrolab Amazônia, que será realizado nos dias 22 a 24 de setembro, é uma plataforma on line, onde o participante assumirá um avatar ao se conectar no evento e  navegará pelos ambientes virtuais. Poderá assistir palestras, participar de rodadas de negócios, fazer networking, visitar stands virtuais e muito mais. As inscrições devem ser feitas em https://agrolabamazonia.com/#inscricao. Segundo informado pelo Sebrae Rondônia foi confirmada a participação de Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart, uma startup inovadora do agronegócio, que foi listada como uma das 100 personalidades mais influentes do setor pela publicação Dinheiro Rural. Mariana, que desenvolveu uma plataforma que monitora lavouras por meio de sensores e imagens de satélite, interpretando as necessidades da planta em relação a irrigação, pragas e doenças. O uso do sistema permite reduzir custos, economizar água, insumos e energia e ainda aumentar a produtividade. O sistema permite que produtores rurais tomem melhores decisões no campo e serem mais resilientes às mudanças climáticas.

 

GOVERNO ESTUDA TRANSFORMAR CBA EM FUNDAÇÃO

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse que o governo estuda transformar o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) em fundação pública para que o centro receba investimentos privados. Mourão afirmou que a mudança visa melhorar sua eficiência: “Estamos buscando transformar [o CBA] em uma fundação pública de direito privado, de modo que o centro se descole da Zona Franca de Manaus e passe a ser, efetivamente, um centro de pesquisa e desenvolvimento”.  Para o vice-presidente, a “estrutura física” do centro é “muito grande, mas subempregada”. Inaugurado em 2004, o CBA ocupa uma área de 12 mil metros quadrados, em Manaus e conta com 28 profissionais (23 pesquisadores e cinco funcionários administrativos) e 26 laboratórios, além de uma central de produção de extratos, alojamentos para pesquisadores e instalações de apoio administrativo e à pesquisa. O CBA foi criado para estimular a pesquisa e o desenvolvimento de novas tecnologias a partir do aproveitamento sustentável da biodiversidade amazônica. Hoje possui 23 projetos em execução, a um custo de cerca de R$ 1,4 bilhão. São pesquisas sobre as vantagens do uso de fibras naturais, o desenvolvimento de novos produtos com matéria-prima da Amazônia e o uso de micro-organismos para biorremediação e tratamento de resíduos, entre outros temas.  A falta de identidade jurídica, porém, é um empecilho para a captação de recursos financeiros além dos previstos no Orçamento da União – sempre passíveis de contingenciamento. Para Mourão, que coordena o Conselho Nacional da Amazônia Legal (colegiado que reúne representantes de 15 ministérios, e ao qual compete coordenar e acompanhar a implementação de políticas públicas relacionadas à região), a transformação do CBA numa fundação pública de direito privado permitirá maior aporte de recursos.

 

RETRATOS DA LEITURA NO BRASIL APONTA QUEDA DE 4,6 MILHÕES DE LEITORES EM QUATRO ANOS

A 5ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Instituto Pró Livro em parceria com o Itaú Cultural, que foi feita com  8.076 entrevistas em 208 municípios entre outubro de 2019 e janeiro de 2020, por coleta de dados do Ibope Inteligência, revela que o Brasil tem menos 4,6 milhões de leitores em quatro anos, uma queda de 56% para 52%. Também a pesquisa mostra que as maiores quedas de leitores foram entre as pessoas com ensino superior – passando de 82% em 2015 para 68% em 2019 -, e entre os mais ricos. Na classe A, o percentual de leitores passou de 76% para 67%. O estudo informa que o brasileiro lê, em média, cinco livros por ano, sendo cerca de 2,4 livros lidos em parte e, 2,5, inteiros. A Bíblia é o tipo de livro mais lido pelos entrevistados e o mais marcante. Segundo o estudo, os brasileiros com mais de cinco anos que não leram nenhum livro, nem mesmo em parte, nos últimos três meses, são 48% da população, cerca de 93 milhões de um total de 193 milhões de brasileiros. A pesquisa foi feita antes da pandemia do novo coronavírus, não refletindo, portanto, os impactos da pandemia na leitura no país. A coordenadora da pesquisa, Zoara Failla, aponta a internet e as redes sociais como as razões para a queda no percentual de leitores, sobretudo entre as camadas mais ricas e com ensino superior.

 

BANCO CENTRAL REGISTRA CRESCIMENTO DE 2,15% NA ECONOMIA EM JULHO

A atividade econômica registrou três meses seguidos de crescimento. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou, em julho, uma expansão de 2,15%, segundo divulgado pelo Banco Central são três meses seguidos em que a atividade econômica apresentou crescimento. Em maio e junho, também tinha existido crescimento: 1,86% e 5,32%, respectivamente. Em março, início das medidas de isolamento social, o IBC-Br caiu 5,89%. Em abril, teve a pior queda: 9,37%. Estes resultados são dessazonalizados, ou seja, ajustados para o período. Na comparação com julho de 2019, houve uma queda de 4,9% (sem ajuste para o período, já que a comparação é entre meses iguais). Em 12 meses encerrados em julho, o indicador teve retração de 2,9%. No ano, o IBC-Br registrou queda de 5,8%. O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

  • A opinião dos nos colunistas colaboradores não reflete a opinião da Folha Rondoniense

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com