6ª FICOP mostrou desenvolvimento de Pimenta Bueno – Por Sílvio Persivo

Escrito por
Atualizado: julho 10, 2018

Virtual e fisicamente é impossível, mas, há cabeças-duras que não se convencem. Podemos não gostar do capitalismo. Mas, não podemos viver sem ele” (Yuval Noah Hanari)

6ª FICOP MOSTROU DESENVOLVIMENTO DE PIMENTA BUENO

Aconteceu, entre os dias 5 à 7 último, no município de Pimenta Bueno, 6ª Feira Comercial e Industrial de Pimenta Bueno e Região (Ficop). O governador Daniel Pereira fez a abertura afirmando que ‘‘Há anos Pimenta Bueno era uma cidade que se intimidava diante da grandeza de Cacoal e de Vilhena e, hoje, se tornou essa cidade onde foi retomada a autoestima, acredito que seja reflexo de um trabalho coletivo’’. O governador destacou que a Ficop é uma grande oportunidade de negócios e de valorizar a produção do município e região. Artesanato, gastronomia, oficinas e capacitações; talk show com empresários; apresentações culturais e esportivas foram alguns dos atrativos do evento. O público teve a oportunidade de acompanhar, através dos stands institucionais, os serviços prestados pelo município e o Estado, como a modernização da Policia Militar, e os trabalhos realizados pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).

III CICLO DE DEBATES DO CONSELHO MUNICIPAL DA CIDADE NA UNIR CENTRO

O III Ciclo de Debates do Conselho Municipal da Cidade vai abordar o tema “Transporte Público, Trânsito e Mobilidade: Questões para a revisão do Plano Diretor do Município de Porto Velho”, e terá como objetivo dialogar sobre a situação dos deslocamentos das pessoas nos vários meios de transporte e as condições diveresas de acessibilidade, conforme o que estabeleceu a Lei 12.587/2012, que instituiu as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana. Mobilidade a pé, cicloviária, transporte público coletivo, transporte aquaviário, dentre outros modais, serão discutidos por gestores públicos, acadêmicos, organizações da sociedade civil e todos os interessados no tema da mobilidade. Participe e contribua com a construção participativa da revisão do Plano Diretor do Município de Porto Velho. Amanhã, dia 10, das 19:00 – 21:30, na UNIR- Centro (Avenida Presidente Dutra, 2965, Centro-Porto Velho).

I FESTIVAL MINALIVRE

Anunciado como o primeiro festival em Porto Velho produzido por mulheres para exaltar outras mulheres, o Festival MinaLivre, tem por objetivo mostrar o trabalho artístico e o empreendedorismo feminino portovelhense! Yeah, We can do It! Vai haver muita demonstração de arte, música, feirinha de produtos, palestras, exibição de negócios e o melhor? Tudo protagonizado por mulheres! Mas, todos podem entrar independente de gênero. Então, vem, marca teus amigos para participar de um lindo festival! Data: 10/07 (terça feira); Hora: 18hrs às 22hrs; Local: Lolla Karaoke Bar (Av. Carlos Gomes, 481 – Caiari); Entrada: R$ 5,00.

PALESTRA NO TJ/RO SOBRE CIDADES INTELIGENTES ABRE UMA DISCUSSÃO IMPORTANTE PARA O FUTURO DE PVH

A arquiteta Margarida Campolargo, chefe da unidade de cidades inteligentes da Porto Digital, da Câmara Municipal do Porto – Portugal, proferiu, na última sexta-feira (6), a convite do Escritório de inovação do Tribunal de Justiça de Rondônia, a palestra “Como podemos tornar nossas cidades mais inteligentes?”. Campolargo, que já trabalhou em vários projetos de inovação social, disse que, embora não seja especialista em tecnologia, deseja que “as cidades consigam, nas suas várias vertentes, trabalhar isto que é a nova era da digitalização”. Citou o orçamento participativo como uma das inovações e considerou o modelo brasileiro, criado em Porto Alegre, um dos melhores do mundo. Sobre o Hackacity, (hackacity.eu/portovelho) maratona de programação com características semelhantes ao Hackathon que busca, por meio de bancos de dados públicos, soluções inovadoras para as cidades, disse que “o Hackacity vai muito além do trabalho de programadores, pois, tem a missão de responder àquilo que a sociedade quer e, por esta razão, qualquer cidadão, independentemente da área em que atua, pode e deve participar, pois precisamos influenciar a inovação em nível global”. Para a palestrante, é importante que se entenda “qual a relação entre o que é o espaço urbano, o que é o espaço social, como é que nós conseguimos interagir com as pessoas e, neste conceito de tecnologia, saber como é que podemos fazer nossas cidades mais inteligentes”.

MOSTRA DE CACAU EM LIMA, NO PERU

A IX Mostra de Cacau e Chocolate, que acontece, anualmente, em Lima, no Peru, vai ser realizada de 19 a 21 de julho no Centro de Convenções 27 de Janeiro. O evento foi criado para os produtores de chocolates do Peru mostrarem ao público e a potenciais compradores a ampla gama de produtos feitos a partir do cacau. O objetivo do evento é mostrar a

qualidade, produtividade e oferta de exportação do cacau peruano para posicioná-lo nos mercados nacionais e internacionais. Isto me lembra que o cacau nosso se encontra numa fase muito difícil e já não tem, como no passado, a atenção do governo, embora chocolate seja um produto de mercado garantido e em alta.

APARTHEID ENERGÉTICO

O ministro Moreira Franco, defendendo a venda de seis distribuidoras de energia controladas pela Eletrobrás no Norte e Nordeste afirmou que os 14 milhões de consumidores dos estados atendidos por essas empresas – Acre, Alagoas, Amazonas, Piauí, Rondônia e Roraima – vivem um “apartheid energético”, devido à má qualidade dos serviços prestados. “A desigualdade na prestação de serviços é a mais injusta característica da distribuição de energia no Brasil. Estamos separando os brasileiros em duas classes de consumidores, ao não conseguirmos oferecer a mesma qualidade de serviços em todos os estados da federação. Essa dualidade acentua a desigualdade econômica e as disparidades na qualidade de vida entre as distintas regiões do país. Semelhante quadro constitui um verdadeiro “apartheid” energético”. E afirmou também que, em Rondônia, cada cidadão fica 32,3 horas por ano sem luz, contra uma média brasileira de apenas 14,4 horas por ano. E isto quando geramos e exportamos energia para o restante do País pagando uma das tarifas mais caras.

AUTOR: SÍLVIO PERSIVO –  COLUNISTA TEIA DIGITAL

PROFESSOR E ECONOMISTA

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.