Estado e Município alinham ações para reforçar a saúde em Porto Velho

Escrito por
Atualizado: maio 17, 2017

Compra de medicamentos, sistema único de regulação, integração de dados e doação de equipamentos foram algumas temas

Num encontro ocorrido na manhã desta terça-feira (16) que reuniu o prefeito dr Hildon Chaves, os secretários de saúde, Williames Pimentel, do Estado; Alexandre Porto, do Município; o adjunto, também municipal, Juan Carlos Quiroga e o secretário estadual do Desenvolvimento, Basílio Leandro, ficou definido o início do alinhamento de diversas ações em busca do fortalecimento da rede pública municipal de saúde.

De acordo com o secretário Williames Pimentel, a aproximação entre Estado e Município e o alinhamento de ações conjuntas foi uma determinação do governador Confúcio Moura, que quer o estreitamento das relações institucionais para a troca mútua de apoio. Tanto o prefeito dr Hildon quanto o governador Confúcio Moura buscam reforçar suas estruturas para oferecer um melhor atendimento à população.

A superlotação das unidades de saúde estaduais, principalmente o Hospital Infantil São Cosme e Damião e o Pronto Socorro João Paulo II pode ser bastante reduzida, caso o município consiga aumentar sua capacidade de atendimento. Uma das alternativas discutidas foi a implantação de dois turnos de atendimento nas unidades municipais, por meio da ocupação dos profissionais que precisam cumprir seus contratos de 40 horas semanais.

Outro tema da reunião foi a unificação do sistema de regulação para agendamento de consultas. Hoje, um dos grandes problemas é o agendamento de consultas ou exames ao mesmo tempo no sistema estadual e municipal (Centro de Especialidades Médicas e Policlínica Oswaldo Cruz), situação que torna-se pior quando o paciente não comparece a nenhum dos agendamentos.

No caso da ausência do paciente, o Sistema Único de Saúde (SUS), isto é, a população, remunera aos profissionais médicos como se estivesse sido atendido, vez que o profissional que está cumprindo seu plantão não tem culpa da ausência.

MEDICAMENTOS

O secretário Pimentel ofereceu ‘carona’ num sistema de registro de preços da Sesau para aquisição de cerca de 174 itens de medicamentos básicos e injetáveis, além de insumos para funcionamento de pronto atendimento, maternidade e serviço de odontologia. Por ter a própria indústria entre os principais fornecedores nestes sistemas de registros, os custos podem cair até à metade do praticado no mercado.

O secretário Alexandre Porto reclamou por não ter conseguido ainda “entrar em 2017”. Segundo ele, o nível de desorganização encontrado estava tão precário que o foco do trabalho ainda está na resolução de problemas do ano passado. Dr Hildon destacou a experiência do secretário Pimentel na gestão da saúde pública e orientou Alexandre Porto a “se aproximar mais e manter uma interlocução permanente”.

INFOVIA

Como decorrência da reunião da manhã, já no final da tarde houve outra reunião na Prefeitura, com o diretor executivo de Tecnologia da Informação e Comunicação do governo, Ronaldo Sawada, para tratar da interligação ao sistema da Infovia do governo estadual. O sistema permite a comunicação em alta velocidade por meio de um anel de fibra óptica, com velocidade de tráfego de 1 gigabit. As unidades da Sesau, como Hospital de Base, Policlínica Oswaldo Cruz, Centro de Imagem de Rondônia, Hospital Infantil Cosme e Damião e o Hospital de Câncer de Barretos, já trafegam pela Infovia a qual se pretende interligar as unidades municipais.

Texto e fotos Comdecom

Comentar

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *