Suspeito confessou ter entrado em grupo de WhatsApp para roubar e matar jovem, diz polícia

Escrito por
Atualizado: novembro 3, 2017

Kelly Cristina Cadamuro saiu de Guapiaçu (SP) e iria para Itapagipe (MG). Três suspeitos foram encontrados na Zona Norte de São José do Rio Preto (SP).

Um dos três homens presos por envolvimento na morte da radiologista Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, que desapareceu após dar carona a um homem desconhecido, confessou ter entrado em um grupo de WhatsApp com a intenção de roubar e matar a jovem, segundo informações da polícia de São José do Rio Preto (SP).

Os suspeitos foram presos em três bairros da zona norte da cidade na madrugada desta sexta-feira (3). Kelly desapareceu na tarde de quarta-feira (1°) e o corpo foi encontrado nesta quinta-feira (2), em um córrego entre as cidades de Frutal e Itapagipe, em Minas Gerais.

O corpo é velado desde o início da madrugada em Guapiaçu, onde Kelly morava com a família, e o horário do enterro ainda não foi divulgado.

Kelly mora em Rio Preto e combinou carona para Minas Gerais (Foto: Reprodução/TV TEM)

Kelly mora em Rio Preto e combinou carona para Minas Gerais (Foto: Reprodução/TV TEM)

Os três suspeitos foram levados para a central de flagrantes de Rio Preto por volta da 1h da madrugada. Imagens das câmeras de segurança de um pedágio da rodovia que liga os estados de São Paulo e Minas Gerais, ajudaram a polícia a encontrar os suspeitos.

“As fotos que obtivemos na concessionária foram determinantes para localizar os suspeitos” afirma o subtenente LuíS Ferreira, da Polícia Militar.

Jonathan Pereira do Prado estava foragido de penitenciária e confessou o latrocínio da jovem Kelly Cadamuro (Foto: Reprodução/TV TEM)

Jonathan Pereira do Prado estava foragido de penitenciária e confessou o latrocínio da jovem Kelly Cadamuro (Foto: Reprodução/TV TEM)

Além do homem que confessou ter entrado no grupo de carona, outro disse que ajudou a matar a jovem, e o terceiro preso comprou os objetos roubados da vítima. Os três têm passagens por roubo.

Jonathan Pereira do Prado, que confessou o latrocínio, estava foragido do Centro de Progressão Penitenciária desde março deste ano.

Suspeito flagrado por câmera de pedágio dirigindo o carro da vítima (Foto: Reprodução)

Suspeito flagrado por câmera de pedágio dirigindo o carro da vítima (Foto: Reprodução)

O corpo de Kelly Cadamuro foi encontrado em um córrego entre as cidades de Frutal e Itapagipe, em Minas Gerais, com sinais de estrangulamento. Ela sumiu durante uma viagem de Rio Preto a Itapagipe, onde mora o namorado. Kelly viajou acompanhada de um rapaz desconhecido que pediu carona em um grupo de caronas no WhatsApp.

Segundo a família disse à polícia, ela fez o último contato quando parou para abastecer o carro em um posto localizado na BR-153.

Durante a madrugada desta sexta-feira, os suspeitos foram levados para a cidade de Frutal, onde seguem as investigações.

Polícia encontrou carro da jovem em estrada rural entre RIo Preto e Mirassol (SP). Ela desapareceu após dar carona para desconhecido (Foto: Cássio Nigro/TV TEM)

Polícia encontrou carro da jovem em estrada rural entre RIo Preto e Mirassol (SP). Ela desapareceu após dar carona para desconhecido (Foto: Cássio Nigro/TV TEM)

Fonte: G1

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *