Polícia investiga ao menos 10 tentativas de clonagem de WhatsApp, em Porto Velho

Escrito por
Atualizado: maio 13, 2019

Nos últimos meses foram registradas cerca de 10 ocorrências policiais na 2ª Delegacia de Porto Velho denunciando o golpe de clonagem do aplicativo WhatsApp, que tem sido bastante praticado por criminosos, segundo apurou a delegada Keity Mota Soares. Os golpistas se passam por conhecidos dos usuários e solicitam dinheiro.

A delegada explica que a maior parte das ocorrências é de tentativa, que é quando o criminoso não consegue ter êxito no golpe. “As vítimas não caíram no golpe porque elas tiveram o cuidado de verificar a identidade da pessoa que estava solicitando, mas já houve casos de pessoas que infelizmente acabaram caindo no golpe”, explicou Keity Mota.

Polícia investiga ao menos 10 tentativas de clonagem de WhatsApp, em Porto Velho

Em um dos casos registrados na delegacia, o criminoso conseguiu clonar o WhatsApp de um advogado, teve acesso aos contatos dele e começou a pedir R$ 3 mil de casa. “Mas os amigos da vítima desconfiaram, ligaram para ele, se certificaram e constataram que se tratava de um golpe”, disse a delegada.

Keity Mota destaca a importância do registro da ocorrência para ajudar nas investigações da Polícia. “Registre sempre uma ocorrência, mesmo que não tenha sofrido prejuízo financeiro. Só assim a gente vai conseguir saber os tipos de golpe que estão acontecendo para que os investigadores consigam se atualizar nas investigações”, destacou a delegada.

Como agem os golpistas
De acordo com a delegada, os golpistas obtêm dados da vítima por meio de uma conta de telefone em um anúncio, por exemplo, no aplicativo de venda OLX disponibilizado pela vítima para contato. Em seguida, o criminoso envia uma mensagem para a vítima se passando por representante de uma empresa de comércio eletrônico e solicita dados cadastrais, para isso requer o fornecimento de seis dígitos, repassados via SMS.

Sem saber que está caindo em um golpe, a vítima envia o código do usuário para o criminoso e com isso, ele consegue instalar o WhatsApp em outro aparelho celular. O golpista tem acesso aos dados e contatos da agenda telefônica da vítima, além de conversas salvas em backup.

Com os dados em mãos, o estelionatário entra em contato com familiares e amigos da vítima se passando por ela e solicita dinheiro emprestado a ser transferido para a conta de terceiros. “Desconfie se um de seus contatos estiver pedindo dinheiro ou cobrando dividas. Certifique-se entrando em contato com a pessoa por outra via sem ser virtual.”, alertou Keity Mota.

Se identificado, o criminoso irá responder pelo crime de estelionato com a pena de 1 a 5 anos de detenção.

Dicas de segurança 
A delegada orienta a população que ative a verificação dos WhatsApp em duas etapas nas configurações do seu aplicativo.

Para ativar, o usuário entra na configuração do aplicativo, clica na opção ajustes, conta e em configuração em duas etapas. Será solicitada uma senha de seis dígitos. Caso necessário, a reinstalação do aplicativo será solicitada esta senha evitando que terceiros de apropriem de seus dados.

FONTE: RONDONIAGORA.COM

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.