Operação prende quadrilha que roubava carros e mantinha vítimas em cárcere privado, em RO

Escrito por
Atualizado: maio 19, 2017
delegados 201

Ação foi feita nesta quinta-feira (18) pela Civil. Foragidos da Justiça e membros do grupo, segundo delegada, estão espalhados por estados vizinhos.

 Cinco, de nove integrantes, de uma quadrilha que atuava na região do distrito de Jaci-Paraná foram presos por policiais da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio nesta quinta-feira (18), em Porto Velho. Dois policiais, que facilitavam a atuação da quadrilha, foram afastados da função. A operação levou o nome de “Espada de Dâmocles”.

Em uma enrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (18), na Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio, os delegados André Tiziano, Rosilei de Lima e Raimundo Mendes anunciaram a prisão de cinco integrantes de uma quadrilha que atuava na regiãi de Jaci Paraná.

Os criminosos, segundo a delegada Rosilei de Lima, agiam sempre da mesma forma.

”Eles escolhiam as fazendas que seriam roubadas, as invadiam e faziam as vítimas reféns e depois levavam os veículos e as vítima em cárcere. Mantinham essas vítimas no meio do mato em cárcere a madrugada toda enquanto os veículos eram atravessados na balsa do Abunã com destino a Bolívia onde seriam comercializado e trocados por drogas”, aponta.

A delegada ressalta que o ponto forte da quadrilha estava no forte armamento.

“Algumas ações desse grupo criminoso foram frustradas e alguns veículos foram recuperados. E nesse meio tempo estávamos investigando a atuação dessa quadrilha em face da periculosidade do armamento que eles utilizam”.

Além dos integrantes do grupo, também foram afastado dois policiais que atuavam como facilitadores na ação dos criminosos, diz a delegada.

”Foi pedido na justiça o afastamento da função de três policiais e o juiz entendeu que pelo afastamento de dois policias do distrito, um de Jaci e o outro de Nova Mutum, onde atuava a quadrilha, esses policiais militares vinham facilitando a atuação dessa quadrilha”, conta.

Sobre os outros quatros criminosos que ainda não foram presos, a delegada conta que já existe pistas do paradeiro deles em estados vizinhos.

“Alguns foragidos estão para Goiás e outros em Mato Grosso. Eles se pulverizaram nos últimos tempo exatamente para fugir da atuação da polícia. A quadrilha é bem grande, mas conseguimos contar nove pessoas”, explica.

 Foram 17 mandatos e cinco prisões cumpridos nesta quinta-feira. O delegado André Tiziano explica sobre os como sucedeu as prisões.

“Dos resultados foi possível efetuar a prisão de cinco destinatário dos mandados e cumpriu assim sete mantados de prisão preventiva. Porque um deles tinha contra si três mandatos. Nesse contexto ainda tem outros quatro pessoas que são foragidas de justiça”, afirma.

Segundo informação passada na coletiva a operação teve a atuação de 49 policiais envolvidos entre as unidades de Porto Velho, Nova Mamoré e Guajará Mirim com atuação de nove delegados, 10 escrivães e 40 agentes de policias.

Fonte: G1

Comentar

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *