Policial

Operação da PF prende indígena e ex-servidor federal em Chupinguaia; casa de empresário em Vilhena sofre “batida”

Laudo pericial mostrou desmatamento de 4 mil hectares em terra indígena

Noticiada mais cedo pelo FOLHA DO SUL ON LINE, a “Operação Êxodo”, deflagrada pela Polícia Federal para apurar fraudes e crimes ambientais em várias cidades de Rondônia (VEJA AQUI), resultou na prisão de um indígena, dentro de sua aldeia, na área rural de Chupinguaia.

Laudo Pericial comprovou 4 mil hectares de área desmatada na Terra Indígena Tubarão, em Chupinguaia. O indígena preso com madeireiros para destruição da reserva, autorizando entrada e retirada de madeiras.

Também num distrito daquela cidade, um ex-servidor do Ibama, que segundo a PF foi expulso do órgão federal, acusado de corrupção, foi preso por estar beneficiando madeiras extraídas da terra indígena chupinguaiense

Durante a ação, agentes da PF cumpriram mandados também em Vilhena e Colorado do Oeste, onde empresas e residências de supostos envolvidos no esquema criminoso sofreram “batidas”. Computadores, documentos e até dinheiro em espécie foram recolhidos durante as buscas.

Segundo informou ao site uma fonte policial, muitas empresas compravam a madeira extraída ilegalmente da terra indígena e revendia para outros comerciantes, e todos estão sendo investigados.

Um dos que compravam os produtos era a empresa de um grande empresário de Vilhena, cuja casa foi alvo de buscas hoje. Os nomes dos investigados não foram revelados.

Em Vilhena, uma madeireira também foi visitada, e nela os agentes da PF recolheram documentos e encontraram uma arma ilegal. Um mandado de prisão também foi cumprido na cidade, mas contra um homem que já estava preso, após ser flagrado cometendo crimes ambientais.

FONTE: FOLHA DO SUL

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com