Operação contra tráfico mira 2 no MPF e Câmara

Escrito por
Atualizado: fevereiro 6, 2018

Operação ‘Delivery’ apura associação criminosa suspeita de fornecer entorpecentes para classes média e alta, inclusive na Esplanada dos Ministérios. São 28 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão.

A Polícia Civil iniciou nesta terça-feira (6) a operação “Delivery”, contra o tráfico de drogas durante o carnaval no Distrito Federal. São 28 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão. Segundo a instituição, entre os alvos, há uma estagiária do setor de combate ao tráfico de drogas do Ministério Público Federal (MPF) e um funcionário do gabinete de um parlamentar da Câmara dos Deputados.

Inicialmente, a Polícia Civil havia informado que a estagiária do MPF trabalhava na Procuradoria-Geral da República (PGR).

Detida chega à delegacia durante ação antidrogas no carnaval (Foto: TV Globo/Reprodução)Detida chega à delegacia durante ação antidrogas no carnaval (Foto: TV Globo/Reprodução)

Detida chega à delegacia durante ação antidrogas no carnaval (Foto: TV Globo/Reprodução)

De acordo com a polícia, a atuação do grupo é configurada como associação criminosa para o tráfico. As investigações começaram há um ano e têm como alvo principalmente pessoas de classe média, em nove regiões do DF.

O servidor da Câmara trabalha como motorista do deputado federal Valadares Filho (PSB-SE), presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional. Ao G1, o gabinete do parlamentar confirmou a informação e disse que o deputado “está providenciando a exoneração dele”.

Por meio de nota, o deputado afirmou “que não tinha conhecimento de qualquer comportamento ilícito” e que determinou a exoneração imediata do servidor “assim que tomou conhecimento do fato, deixando a cargo da Justiça os procedimentos de investigação cabíveis para o caso”. Valadares Filho disse que mantinha relação “restritamente profissional” com o funcionário.

O motorista recebeu R$ 9.777,20 líquidos em dezembro de 2017, entre salário, auxílios e gratificação natalina, segundo os dados da Casa.

“Conselheira jurídica”

Eles são suspeitos de vender cocaína e outras drogas na Esplanada dos Ministérios – até em órgãos federais. Segundo as investigações, a estagiária do MPF agia como “conselheira jurídica” do grupo criminoso. Ela é aluna de direito de uma faculdade particular da Asa Norte

Até as 9h45, o balanço da operação era este: apreensão de 3 kg de haxixe e 1,5 kg de cocaína, com pelo menos 23 presos.

Polícia cumpre mandados na Vila Planalto, no DF (Foto:  TV Globo/Reprodução)Polícia cumpre mandados na Vila Planalto, no DF (Foto:  TV Globo/Reprodução)

Polícia cumpre mandados na Vila Planalto, no DF (Foto: TV Globo/Reprodução)

Onde acontece:

  • Vila Planalto (onde vivem 18 alvos)
  • Águas Claras
  • Sudoeste
  • Asa Norte
  • Lago Norte
  • Guará
  • Setor de Clubes Esportivos Sul
  • Itapoã
  • Paranoá

Apesar de envolver servidores públicos, os mandados são cumpridos apenas nas residências dos alvos, suspeitos de fornecer droga para “clientes” de classe média e alta. O G1 tenta contato com o MPF para comentar a operação.

Preso em operação antidrogas no DF chega a delegacia (Foto: TV Globo/Reprodução)

Preso em operação antidrogas no DF chega a delegacia (Foto: TV Globo/Reprodução)

A ação é do Departamento de Polícia Circunscricional (DPC), que junta todas as delegacias regionais. Ela reúne 300 policiais, cães farejadores e o helicóptero da instituição.

FONTE: G1/DF

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.