Fiscalização contra garimpagem no Rio Madeira é intensificada em Porto Velho

Escrito por
Atualizado: novembro 13, 2017

Segundo secretário da Sedam, Justiça Federal proíbe garimpo entre Porto Velho e o Amazonas. Cerca de 30 balsas foram apreendidas em um ano.

A garimpagem no Rio Madeira, mesmo fora da Área de Preservação Ambiental (APA), voltou a ser proibida pela Justiça Federal no trecho entre Porto Velho e o estado do Amazonas, segundo o titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Vilson Sales Machado.

Segundo ele, por conta da proibição, a fiscalização que já é realizada há um ano foi intensificada ao longo do rio. A Sedam também suspendeu as análises de processos de licenciamento ambiental que estavam em andamento na região. “Antes a proibição era de cinco quilômetros depois da ponte, agora a área de proibição chega à fronteira do Amazonas”, explica Vilson Sales.

De acordo com o gerente de fronteiras da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), Coronel André Glanert, em um ano de operação já foram apreendidas 30 balsas e 60 pessoas foram presas. “A fiscalização continua intensa”, alerta.

A apuração de muitas denúncias fica a cargo da Polícia Federal, uma vez que o rio Madeira é binacional. Ainda segundo o oficial, as forças de segurança e proteção ambiental de Rondônia têm atuado também em parceria com o governo do Amazonas para evitar a ação ilegal dos garimpeiros.

Fonte: G1

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *