Delegado fala sobre a prisão de suspeito e recuperação de caminhonete roubada em que família de Rolim de Moura foi mantida em cárcere privado

Escrito por
Atualizado: outubro 3, 2019

O Delegado Regional da Polícia Civil, DR. Alexandre Baccarini concedeu uma entrevista coletiva a imprensa rolimourense sobre o roubo seguido de cárcere privada ocorrido na última segunda-feira, 30, na zona rural de Rolim de Moura.

A ação criminosa ocorreu no km12 da linha 180, lado norte, porém os criminosos levaram a família, sendo um casal e dois netos menores de idade na caminhonete da família, sendo amarradas em uma região de mata, no distrito de Guaporé, entrada para o município de Chupinguaia.

Relembre o caso aqui!

O delegado conta que após a cidade de Pimenta Bueno, a caminhonete ficou sem combustível e os bandidos teriam abastecido a caminhonete em um posto da cidade e seguido viagem.

Mais adiante, os bandidos que em todo o momento usavam tocas e luvas para não serem reconhecido facialmente ou por digitais amarraram as vítimas na mata e uma outra pessoa por nome de Ancelmo, pegou a caminhonete e se dirigiu ao destino final que seria a Bolívia, portanto as a PRF – Polícia Rodoviária Federal já estava em alerta e conseguiu lograr êxito em localizar o suspeito e o veiculo já no estado do Mato Grosso, em uma região entre Vilhena e Comodoro.

Ancelmo, por sua vez, em seus depoimentos disse que não participou da ação criminosa em si, mas que foi contratado para levar a caminhonete até a cidade de Sam Matias na Bolívia. Confessou ainda que em outras oportunidades, Ancelmo transportou uma outra caminhonete e um caminhão da cidade de Colorado do Oeste até a Bolívia.

Ancelmo não conseguiu apresentar as identidades dos seus contratantes e não deu mais detalhes, por não saber ou por não ter interesse.

Baccarini disse que até o momento as investigações seguem em sigilo absoluto e que a equipe de investigação segue no objetivo de identificar outras pessoas envolvidas na ação criminosa, como do estado de Rondônia tanto quanto do estado vizinho, Mato Grosso, de onde Ancelmo era.

Baccarini disse ainda que contra Ancelmo há apenas dois registros policiais, um por crime ambiental e outro por embriaguez na direção, sendo réu primeira neste tipo de crime.

FONTE: Planeta Folha

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.