A FALÊNCIA DO ESPORTE EM RONDÔNIA

Escrito por
Atualizado: maio 27, 2015

Total falta de apoio e desinteresse das autoridades obrigam atletas a pedir dinheiro em cruzamentos

Interessante

Leio um artigo assinado pelo vereador José Wildes de Brito defendendo que as empresas que prestam esse serviço precário de transporte público sejam “contratadas emergencialmente” para continuar prestando o mesmo serviço até que seja feita a licitação. Sinceramente não sei por onde o vereador tem andado, seja lá por onde for, certamente não é de ônibus. Ele deveria defender a população da Capital, é pago para isso, está no seu segundo ou terceiro mandato, mas não o faz. Os questionamentos apresentados pelo vereador não fazem o menor sentido, sendo ele quem é, um fiscal do povo.

Pois bem

O edil alega que a empresa contratada não é conhecida, e afirma ser “ improvável que em seis meses a empresa consiga se organizar em estrutura, pessoal e planejamento, sem falar de questões a serem equacionadas, como a integração eletrônica, gratuidade aos estudantes e idosos, o retrocesso ao vale transporte que, segundo informações, será vendido pela SEMTRAN, e pelo que consta, a Secretaria não dispõe de estrutura física e nem funcionários suficientes para executar mais essa demanda”. Mas pera lá, porque a empresa nova precisa fazer isso tudo em apenas 6 meses de contrato, sendo que nem se sabe quem vencerá, de fato, o processo licitatório? E mais, porque isso não foi cobrado das empresas atuais, que rodam com ônibus caindo aos pedaços, machucando passageiros e o pior, sem sequer pagar ISS ao município?

O vereador

Também questiona os direitos dos trabalhadores, “e quanto aos trabalhadores? Que garantias eles têm de que seus direitos serão preservados?”, as garantias foram dadas pela justiça do trabalho, caro edil, ao bloquear os bens dessas empresas e do sindicato que as representa. Ao invés do senhor está fazendo esses questionamentos descabidos, deveria se debruçar sobre o contrato e fiscalizar após o processo ser finalizado. O contrato tem regras a serem seguidas dentro do prazo determinado. Então faça um favor a Porto Velho, fiscalize quando a nova empresa estiver operando. Garanto que qualquer um que entre hoje não será pior do que o que temos atualmente.

Luto

Faleceu nesta quarta-feira, vítima de problemas cardíacos o jornalista e apresentador Sérgio Mello, da TV Candelária. Um profissional respeitado e querido em todo o Estado, figura extremamente simpática, que certamente deixa uma lacuna irreparável. Sérgio era natural do Rio de Janeiro e migrou para Rondônia em 1977, quando iniciou a carreira em rádio e depois foi para a televisão. Ele deixa esposa e três filhos.

Falência

A operação do FBI (polícia federal americana) que prendeu nesta quarta-feira parte da cúpula da FIFA e empresários do ramo esportivo expõe a safadeza que virou o futebol no mundo inteiro. Mas o futebol é um esporte que movimenta cifras bilionárias em todo o planeta, portanto aguenta o tranco e vai sobreviver. O problema está nos atletas menos favorecidos e quero me reportar a triste situação que se encontra o esporte rondoniense, em todas as categorias e modalidades. Os atletas literalmente precisam mendigar recursos para poder representar o estado em eventos externos ou mesmo aqui em Rondônia.

Dia desses

Me deparei com um para-atleta pedindo dinheiro em um semáforo de Porto Velho, sob um sol escaldante. Ele buscava recursos para poder representar Rondônia em um evento esportivo fora do Estado. Honestamente não sei se ele conseguiu, mas foi uma cena lamentável. Ao mesmo tempo, as federações e associações esportivas não conseguem sequer pagar o aluguel de suas sedes, algumas sequer possuem uma sala. O esporte em Rondônia não existe.

As escolas

Que outrora eram berçário de atletas, reduziram as atividades esportivas a “aulas de educação física”. O poder público … e anda para essa situação. A prática esportiva é sem dúvida alguma o que mais reduz a criminalidade. Isso já foi testado e comprovado em diversos países, mas por aqui o poder público prefere ignorar essa realidade. Nos últimos anos, campeonatos que eram tradicionais foram minguando a tal ponto que até os costumeiros campeonatos de volei de praia, realizados em balneários simplesmente não acontecem mais. Não fosse pelo esforço dos peladeiros de fim de semana, certamente as partidas de futebol também já teriam sido extintas.

Rondônia já teve

Circuitos de motocross, campeonatos de volei de praia em circuito estadual, jogos escolares estaduais e municipais, torneiros interbairros, corrida de jerico, enfim, uma gama imensa de práticas esportivas, mas todas elas foram sendo, uma a uma, desencorajadas. Em alguns, a falta de prestação de contas complicou a vida de dirigentes, em outros a falta de dinheiro mesmo. A secretaria de esportes, tanto do estado quanto do município, servem de cabide de emprego e nada mais. Pior é que nem as escolas estão conseguindo manter suas aulas de educação física. Falta estrutura.

Nesta quinta-feira

O Tribunal de Justiça julga uma ação de interesse de toda a advocacia de Rondônia. Trata-se de uma discussão sobre o descumprimento, por parte de um magistrado do interior, de uma decisão liminar proferida por um desembargador. A grande questão é que o magistrado de primeiro grau, ignorou completamente a liminar e deu uma ordem contrária, a pergunta que fica é, para que recorrer a um tribunal se o juiz faz o que bem entende?

Ainda a advocacia

A OAB de Rondônia inaugurou na manhã desta quarta-feira na sede da superintendência da Polícia Federal uma sala para os advogados. O espaço recebeu o nome da advogada rondoniense Maria do Socorro Lima, que faleceu em fevereiro, aos 80 anos. Ela foi pioneira na advocacia rondoniense, tendo contribuído com o fortalecimento das instituições jurídicas e da OAB no Estado. A sala é a primeira em uma superintendência da PF no Brasil e mantém a alta padronização das demais salas espalhadas em todo o Estado.

E a licitação?

A empresa Gertz e Lobato tem até o meio-dia desta quinta-feira para apresentar a documentação exigida a comissão de licitação que cuida das obras de saneamento de Porto Velho. O valor global é de R$ 749 milhões e representa 40% das obras. Se a Gertz não apresentar a documentação, a EMSA leva o pacote. Informações de bastidores dão conta que a Gertz não tem o acervo exigido em edital. Vamos aguardar até esta quinta.

O mariri e os presos

Um apenado detido em Porto Velho declarou ter fugido de uma das sessões do Santo Daime que aconteciam em Ji-Paraná, aquela que foi mostrada no Fantástico como “método alternativo de ressocialização”. O apenado Jeferson Bernardo fugiu, roubou um carro e praticou um estupro. Foi preso em Porto Velho dias depois e confessou o crime e ainda afirmou que “era obrigado a tomar o chá”. Se era, não sei, mas que ele fugiu e delinquiu de novo, é fato.

Para contatos

Fale conosco pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos nowww.painelpolitico.com e www.facebook.com/painel.politico e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon. Whatsapp 9248-8911.

Depressão pode aumentar risco de Mal de Parkinson

Conhecida por sua complexidade, o Mal de Parkinson tem causas variadas, que vão de problemas circulatórios cerebrais a intoxicações. Mas a depressão também pode estar ligada ao desenvolvimento da doença. Em novo estudo publicado no site Neruology, pesquisadores suecos apontam que pessoas depressivas correm mais risco de ter Parkinson no futuro. Para a pesquisa, 150 mil indivíduos diagnosticados com depressão entre 1987 e 2012 foram comparados a pessoas que nunca tiveram a doença. Ao longo de 26 anos, foi constatado que 1.1% dos indivíduos com histórico depressivo desenvolveram o Mal de Parkinson, enquanto os demais representaram 0,4%. Após um ano de análise dos dos dados, os pesquisadores apontaram uma chance três vezes menor em pessoas que nunca tiveram depressão. Além disso, aqueles que já haviam sido hospitalizados uma vez pelo quadro depressivo, apresentaram 3,5 vezes mais risco de ter os sintomas da doença. Já os que tiveram mais de cinco passagens por centros médicos mostraram um risco 40% maior. No entanto, não é possível afirmar que a depressão seja causadora da doença.

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Um comentário

  1. (Luciana Langrin) - Rivello Digital

    5 de agosto de 2019 at 3:10

    Olá Folharondoniense
    Tenho uma proposta para monetizar seu site.

    whatsapp 24 9 9891-4459
    Será respondido com detalhes.

    Contato
    Osvaldo ou Ana.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.