PF deve abrir nova frente de investigação sobre atentado contra Bolsonaro

Escrito por
Atualizado: setembro 12, 2018

Investigadores encontraram três cartões em nome de Adélio, sendo um internacional

Polícia Federal (PF) pretende abrir um segunda linha de investigação para explorar as circunstâncias em que aconteceu o atentado ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). Isso deve ocorrer porque o inquérito que se concentra na autoria do crime focado em Adélio Bispo de Oliveira, homem que deu uma facada no presidenciável há seis dias, em Juiz de Fora, e que foi preso em flagrante, deve terminar nas próximas semanas. Como Oliveira está preso, o prazo para que a denúncia seja oferecida à Justiça é menor que o usual.

O auto de apreensão das buscas realizadas no quarto da pensão onde o esfaqueador vivia, obtido pelo GLOBO, mostra que a PF apreendeu um cartão de crédito internacional do Itaú, dois cartões da Caixa Econômica Federal (um de conta corrente e outro de conta poupança), além de extratos dos dois bancos em nome dele. Também foi encontrado um recibo em nome de Oliveira no valor de R$ 430. O material apreendido foi revelado pela revista “Crusoé”.

Fontes ligadas ao inquérito relataram que a PF pedirá a quebra de sigilo bancário dessas contas na tentativa de descobrir de onde vem o dinheiro de Oliveira e o crédito para manter esses cartões. Oliveira passou por 12 empregos nos últimos sete anos, não permaneceu mais de três meses em nenhum deles, e estava desempregado quando atacou o candidato.

Uma das hipóteses é que ele teria um financiador que poderia estar vinculado ao atentado a Bolsonaro. Até o momento, porém, o material periciado e as pessoas interrogadas pela PF apontam que Oliveira agiu sozinho no atentado contra o presidenciável.

Caso o segundo inquérito seja aberto pela PF, ele também deve ser conduzido pela equipe de Minas Gerais que segue à frente das investigações sobre Oliveira. O material coletado nas apurações da investigação do flagrante, como a quebra dos dados bancários, devem ser usados juntamente com outras informações na abertura dessa nova investigação.

Uso de lan house antes do ataque

Autor do ataque a Bolsonaro, Adélio Bispo de Oliveira, usou computadores de uma lan house em Juiz de Fora por mais de uma semana antes de dar uma facada no presidenciável, na quinta-feira (6). A notícia foi publicada pelo G1 e confirmada pelo GLOBO.

Desde segunda-feira (10), a PF está com seis HDs de computadores da lan house que foram apreendidos e passar por perícia. Fontes da investigação relataram que o próprio dono do local entrou em contato com a Polícia ao reconhecer o cliente e que ele está colaborando com a investigação. Oliveira usou os computadores de 28 de agosto e 6 de setembro, data em que praticou o atentado contra Bolsonaro.

Causou estranheza aos investigadores Oliveira frequentar diariamente uma lan house, já que na pensão onde ele vivia também foi apreendido um notebook que pertencia a ele.

Na quinta-feira, Oliveira deu uma facada em Jair Bolsonaro durante um ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais. Ele foi preso no mesmo local e levado no sábado para um presídio federal de segurança máxima no Mato Grosso do Sul.

FONTE: O GLOBO

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.