Novo líder da junta militar sudanesa toma posse para dirigir transição

Escrito por
Atualizado: abril 13, 2019

Abdul Fatah al Burhan foi nomeado pelo antecessor que esteve no cargo apenas 24 horas. Nomeação foi transmitida pela TV sem áudio e sem legendas

Abdul Fatah al Burhan, o novo líder da junta militar do Sudão, constituída ontem para dirigir o país após a derrocada do presidente Omar al Bashir, tomou posse na noite desta sexta-feira (12), depois de ter sido nomeado por seu antecessor, Awan bin Aur, que esteve no cargo apenas 24 horas.

O general Al Burhan jurou seu cargo com o uniforme militar e diante de outro uniformizado, como mostrou a emissora de televisão estatal sudanesa, que transmitiu apenas imagens, sem locução ou legendas.

Essas imagens foram transmitidas pela emissora estatal pouco depois que o ministro da Defesa sudanês, Awad bin Auf, apareceu na tela para renunciar ao seu cargo à frente do Conselho Militar Transitório e designar Al Burhan para substitui-lo.

Em mensagem lida diante das câmaras, Bin Auf anunciou que sua decisão busca “preservar a unidade do exército” e “evitar fendas” em seu seio.

Além de renunciar, afastou do seu cargo o vice-presidente da junta, Kamal Abdel Maaruf, que é chefe do Estado-Maior do Exército sudanês.

Bin Auf tinha tomado posse ontem à noite, poucas horas depois de ter sido o encarregado de anunciar aos sudaneses que as Forças Armadas tinham derrubado Al Bashir e o mantinham sob detenção, em resposta a quase quatro meses de protestos nas ruas contra o governante.

Os manifestantes e a oposição rejeitaram desde o primeiro momento a criação de uma junta militar e a própria figura de Bin Auf, e esta noite comemoraram sua renúncia nas ruas de Cartum.

As Forças da Liberdade e da Mudança, coalizão de partidos e grupos opositores, asseguraram em comunicado que seguirão adiante com as mobilizações e com o acampamento às portas da sede do comando do exército na capital, até a entrega do poder a uma autoridade civil e a suspensão das medidas de exceção.

O chefe do comitê político da junta militar, Omar Zein Alabidin, assegurou hoje em entrevista coletiva que o poder será repassado a um governo civil ao final da etapa transitória, que a princípio duraria dois anos.

FONTE: EFE

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.