Governo e oposição venezuelana negociam na Noruega, diz imprensa

Escrito por
Atualizado: maio 16, 2019

Contatos começaram em Cuba e reuniões foram realizadas em local secreto em Oslo, com mediação do Ministério das Relações Exteriores norueguês

Representantes do governo de Nicolás Maduro e da oposição da Venezuela mantêm conversas em Oslo, com a Noruega como mediadora para tentar solucionar a crise no país sul-americano, informaram nesta quinta-feira (16) vários veículos de imprensa noruegueses.

De acordo com a emissora publica NRK, que cita fontes próximas às negociações, os contatos começaram em Cuba e várias reuniões foram realizadas em um local secreto em Oslo, mediado pelo Ministério das Relações Exteriores da Noruega, que se recusou a comentar.

A delegação do governo é composta pelo ministro das Comunicações, Jorge Rodríguez, e pelo governador do estado de Miranda, Héctor Rodríguez, enquanto pela oposição estão o segundo vice-presidente da Assembleia Nacional, Stalin González; o ex-deputado Gerardo Blyde e o ex-ministro Fernando Martínez Mottola, segundo a NRK.

As duas delegações viajarão hoje para Caracas depois de uma nova rodada de contatos, segundo a televisão pública norueguesa.

Governo e oposição tinha realizado várias rodadas de negociações na República Dominicana entre setembro de 2017 e fevereiro 2018, mas quando tudo estava pronto para assinar um acordo, os opositores consideraram insuficientes as garantias dadas para as eleições presidenciais.

A oposição, por sua vez apresentou outro texto, rejeitado pelo governo venezuelano, de modo que o diálogo que teve o ex-presidente do Governo da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero como facilitador, entrou em um “recesso por tempo indeterminado”.

Ao contrário de outros países europeus, a Noruega – que não faz parte da União Europeia – não reconheceu o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, como presidente interino após sua autoproclamação, em janeiro, mas sim mostrou seu apoio e pediu a retomada do diálogo e novas eleições.

A Noruega tem sido um facilitador em cerca de vinte processos de diálogo nas últimas décadas, como o que levou à assinatura dos acordos de Oslo entre israelenses e palestinos ou as conversas entre o governo colombiano e as FARC.

FONTE: EFE

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.