Campanha internacional contra armas nucleares ganha o Prêmio Nobel da Paz

Escrito por
Atualizado: outubro 6, 2017

Entidade com sede na Suíça, a ICAN é uma coalizão de 300 ONGs que trabalha para construir um tratado mundial de proibição do arsenal atômico

A coalizão de organizações Campanha Internacional para Abolir as Armas Nucleares (ICAN) venceu o Prêmio Nobel da Paz 2017. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (6) em Oslo.

— A organização recebe o prêmio por seu trabalho para chamar a atenção sobre as consequências humanitárias catastróficas do uso de armas nucleares e por seus esforços pioneiros para obter um tratado de proibição destas armas — afirmou a presidente do Comitê Norueguês do Nobel, Berit Reiss-Andersen.

O Comitê destacou que as potências nucleares devem iniciar “negociações sérias” de desarmamento.

— O Prêmio da Paz deste ano é também um apelo para que estes Estados iniciem negociações sérias destinadas à eliminação gradual, equilibrada e cuidadosamente supervisionada das quase 15 mil armas nucleares que existem no mundo — disse Berit Reiss-Andersen.

Mais de 70 anos depois das bombas atômicas norte-americanas lançadas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, e em um momento de grande tensão a respeito da crise norte-coreana, o Comitê do Nobel deseja ressaltar os esforços da ICAN para livrar o mundo das armas nucleares.

Heiko JUNGE / NTB Scanpix
Presidente do Comitê Norueguês do Nobel, Berit Reiss-Andersen anuncia vitória da ICANHeiko JUNGE / NTB Scanpix

Fundada em 2007 em Viena, durante uma conferência internacional sobre o tratado de não proliferação nuclear, a ICAN tem sede em Genebra, nos prédios do Conselho Ecumênico das Igrejas, outra organização internacional.

Esta coalizão de mais de 300 ONGs conseguiu mobilizar desde então ativistas e personalidades para defender sua causa. A ICAN estimulou um tratado histórico de proibição das armas nucleares que foi adotado por 122 países em julho, mas o seu alcance é sobretudo simbólico, pela ausência das nove potências nucleares entre os signatários.

A organização, que tem um orçamento anual de US$ 1,2 milhão, funciona graças à ajuda financeira de vários governos, como Noruega, Suíça, Holanda, Alemanha ou a Santa Sé, assim como de doadores privados, da União Europeia e várias fundações.

A entidade Receberá o prêmio, que consiste em uma medalha de ouro, um diploma e um cheque de nove milhões de coroas suecas (US$ 1,1 milhão) durante uma cerimônia em Oslo no dia 10 de dezembro, a data do aniversário da morte em 1896 do criador do prêmio, o filantropo sueco e inventor da dinamite, Alfred Nobel.

Fonte: Exame.com

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *