Interior

VILHENA: Trabalho como cabo eleitoral se torna alternativa de renda para vilhenenses desempregados na pandemia

Muitas “formiguinhas” usam a atividade para complementar orçamento

A contratação dos cabos eleitorais, ou “formiguinhas”, como são conhecidas popularmente as pessoas que vão de porta em porta distribuindo “santinhos” de candidatos nas eleições, foi liberada pela Justiça Eleitoral desde o dia 15 deste mês e já vem se tornando uma fonte de renda para as pessoas que perderam o emprego na pandemia e para os que apenas querem complementar o ordenado mensal.

Com pagamentos de até R$ 500,00 para os trabalhos realizados em meio período de segunda a sexta-feira e acompanhamento dos candidatos em visitas domiciliares nos finais de semana, os cabos eleitorais ouvidos pela reportagem do FOLHA DO SUL ON LINE se mostram satisfeitos com a remuneração.

As contratações dos cabos eleitorais são realizadas pelos próprios candidatos, tendo os pretendentes ao cargo de vereador em Vilhena, o direito a 166 contratos e os pretendentes ao cargo de prefeito, 331, que devem ser distribuídos a contento nas diversas áreas de atuação durante toda a campanha.

Esse número varia de município para município, levando em conta o número de eleitores e o valor máximo de gasto permitido por campanha, que em Vilhena é de R$1.360.767,01 para candidatos ao cargo de prefeito e de R$57.344,37 para os que buscam uma vaga na Câmara de Vereadores.

Porém, segundo contadores de alguns partidos, em média, os candidatos aos cargos de vereador em Vilhena estão dispondo de cerca de R$ 5 mil pra investir em suas campanhas.

De acordo com a Justiça Eleitoral, os trabalhos dos contratados como cabo eleitoral, independente do cargo pretendido pelo candidato, devem ser encerrados até as 22:00h do dia que antecede as eleições.

FONTE:  FOLHA DO SUL

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com