Inep tem 26% de verba bloqueada e servidores temem riscos ao Enem

Escrito por
Atualizado: maio 17, 2019

Técnicos afirmam que, se contingenciamento for mantido, recursos não serão suficientes para bancar exame e avaliação da educação básica

Os bloqueios no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem ) chegaram a 26% do orçamento discricionário da autarquia — aquele que não inclui os gastos obrigatórios, como salários e pensões. Do total de R$ 1,5 bilhão, estão contingenciados R$ 394,6 milhões, segundos dados fornecidos pelo instituto.

Técnicos da autarquia temem que o bloqueio de verbas inviabilize a realização do Enem deste ano. Eles afirmam que, se não for descontingenciado, o recurso atualmente livre não será suficiente para bancar o exame e a avaliação da educação básica.

Ministério da Educação (MEC) informou em coletiva recente que a avaliação da educação básica neste ano custará R$ 500 milhões. A média de gasto com o Enem nos últimos anos foi de R$ 600 milhões (incluindo valores arrecadados com a taxa de inscrição).

Como o órgão precisa empenhar o recurso (reservar no orçamento) para viabilizar as contratações necessárias para a aplicação dos exames, que ocorre no segundo semestre do ano, o temor é de que falte dinheiro.

O novo presidente da autarquia, Alexandre Lopes , que ainda não tomou posse, afirmou nesta sexta-feira que o cronograma do Enem está mantido. As declarações foram veiculadas pela assessoria do MEC.

O Inep não comentou os possíveis reflexos do contigenciamento. A autarquia está sem presidente. Elmer Vicenzi , nomeado há menos de um mês, foi demitido ontem por conflitos internos e baixa produtividade, segundo interlocutores do MEC. Quem assumirá será Alexandre Lopes, que era diretor legislativo da Secretaria Executiva da Casa Civil.

FONTE: O GLOBO

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.