TSE alerta que chamar desinformação de ‘fake news’ atenta à democracia e ao Jornalismo

Escrito por
Atualizado: setembro 9, 2019

Série mostra que a expressão ganhou conotação pejorativa, para desqualificar jornalistas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nesta segunda-feira (9) o segundo vídeo da série Enfrentamento à Desinformação, que mostra que, ao longo do tempo, a expressão fake news ganhou uma conotação pejorativa e passou a ser utilizada para desqualificar qualquer coisa. Por isso, a grande maioria dos especialistas defende a utilização da expressão “desinformação” no lugar de fake news.

Para a coordenadora do Projeto Credibilidade e ex-presidente do Projeto Projor, Angela Pimenta, usar o termo fake news para rotular a desinformação, a má informação e a informação errada ou equivocada é um atentado ao ofício jornalístico e, por extensão, à democracia.

“Maus políticos no mundo inteiro têm tentado rebater informações que não são favoráveis a eles com esse nome [fake news]. Isso também pode incitar a perseguição de jornalistas tentando fazer o seu trabalho”, alerta a especialista.

Na visão da advogada especializada em liberdade de expressão e internet, Taís Gasparian, o termo fake news é ambíguo, impreciso e utilizado por políticos para desacreditar a imprensa. Para o professor de Direito Eleitoral Diogo Rais, a expressão acabou ganhando uma conotação pejorativa e se transformou numa espécie de arma para desqualificar o emissor.

Daniel Bramatti, presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), recomenda que o termo fake news não seja utilizado em matérias jornalísticas, por abarcar uma quantidade muito grande de elementos que simulam uma notícia, mas que não necessariamente sejam notícias.

 

 

Série de vídeos

Produzida pelo Núcleo de TV da Assessoria de Comunicação (Ascom) do TSE, a série de cinco vídeos acerca do enfrentamento da desinformação traz depoimentos de especialistas nacionais e internacionais que participaram do Seminário Internacional Fake News e Eleições, realizado em maio deste ano pela Corte Eleitoral com o apoio da União Europeia.

Confira, no canal do TSE no YouTube, os vídeos já publicados da série. O tema da próxima semana será a importância da identificação de notícias falsas. (Com informações da Ascom do TSE)

 

FONTE: DIÁRIO DO PODER

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.