Segura a Fera, Ivo vem ai: Jaqueline Cassol confirma que senador é pré-candidato ao governo

Escrito por
Atualizado: dezembro 15, 2017

Em visita à redação do FOLHA DO SUL ON LINE e da Gráfica Graphite, na manhã desta sexta-feira, a advogada Jaqueline Cassol, presidente do Partido Progressista em Rondônia, confirmou sua intenção de concorrer a deputada federal no ano que vem, e falou dos potenciais candidatos pela sigla no Cone Sul.

Em visita às cidades da região, Jaqueline, que visitou o site em companhia do pecuarista e ex-secretário regional Ilário Bodanese, disse que está trabalhando para que a também advogada vera Paixão aceite concorrer a federal; e disse que vem conversando com a ex primeira-dama, Lizangela Rover, que estaria disposta a brigar por uma cadeira na Assembleia legislativa em 2018.

A líder do PP revelou, ainda, seu convite para que o prefeito de Cerejeiras, Airton Gomes, seja candidato a deputado estadual em seu grupo. “É um líder respeitado nas cidades da região e torcemos para que ele concorra”, confidenciou.

CASSOL NA BRIGA

Jaqueline também comentou a decisão recente do STF que, nesta semana, substituiu a prisão do senador Ivo Cassol por multa e serviços comunitários.

A irmã do parlamentar explicou que, com a decisão, Ivo reafirmou sua disposição para disputar o Governo de Rondônia em 2018. Segundo ela, além da prescrição dos crimes atribuídos ao senador, ele também escapa da inelegibilidade por um critério adotado pelo próprio Supremo: “A Lei da Ficha Limpa adota três critérios em casos de condenação: que o acusado tenha agido com dolo, que tenha havido dano ao erário e que ocorra enriquecimento ilícito. Nenhum deles se aplica ao Ivo”.

Conforme revelação da dirigente Partidária, o irmão está preparado para as tentativas de adversários de barrá-lo no tapetão: “Vão tentar, mas ele não teme isso. É bom lembrar que, em 2010, ele concorreu sob liminar, após ser denunciado por opositores. Venceu a disputa pelo Senado e está no cargo até hoje”.

A postulante à Câmara dos Deputados disse que Cassol vai recorrer da sentença, mas pretende cumprir a condenação: “Ele ainda não sabe onde prestará serviços comunitários. E falou que é triste pagar por algo que não cometeu. Mas pretende cumprir a sentença de cabeça erguida”, finalizou.

Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.