Deputado Jesuíno participa de solenidade de doação de terreno onde será construído condomínio

Escrito por
Atualizado: dezembro 6, 2017

Bombeiros e policiais militares serão contemplados com 408 residências…

Na noite da última segunda-feira (4) o deputado Jesuíno Boabaid (PMN) participou de solenidade na prefeitura de Porto Velho, onde ocorreu o ato simbólico de doação do terreno onde será construído um condomínio fechado exclusivo para policiais e bombeiros militares.

A área onde será construído o condomínio Sparta I está localizada na Estrada da Areia Branca, bairro Areia Branca, Zona Sul, e contará com 408 residências. As obras têm prazo de conclusão estimado em 18 meses e, segundo o representante da construtora, irá gerar cerca de 600 empregos.

O coronel Chianca destacou a importância de se ter um condomínio desses no Estado, enobrecendo a atitude da prefeitura doar o terreno, pois os militares precisam de um lugar seguro para residir e deixar seus familiares quando vão às ruas proteger a sociedade.

O prefeito Hildon Chaves salientou que o terreno havia sido doado pelo ex-prefeito Roberto Sobrinho, no final de seu mandato, porém, passou pela gestão de Mauro Nazif e até o presente momento não houve avanços no início da obra. “A doação só está sendo feita por se tratar de um projeto de habitação dentro da legislação brasileira”, disse Hildon.

Atualmente o terreno pertence a Associação do Corpo de Bombeiros, porém, daqui a cerca de cinco meses vencerá o prazo estipulado para a construção do condomínio por inexecução do objeto e o terreno voltará a ser de propriedade da prefeitura.

“Para que este terreno continue disponível para a construção do condomínio, será necessário que a Câmara de Vereadores aprove um projeto de lei solicitando a prorrogação por mais um ou dois anos, para que haja tempo hábil para executar o empreendimento”, explicou o prefeito.

Em seu pronunciamento, Boabaid lembrou que o problema se arrasta há vários anos e que nunca houve avanço na execução da obra. Ele falou, ainda, sobre a importância de um empreendimento como este, pois muitos policiais prendem pessoas que moram no mesmo bairro e ao retornar para casa se deparam com as pessoas que haviam prendido, o que pode gerar conflitos. O parlamentar ressaltou, ainda, que a volta do terreno para a prefeitura acarretaria uma espera ainda maior dos militares em realizar o sonho da casa própria.

O deputado disse apoiar a construção do condomínio exclusivo aos militares, todavia, se diz contrário aos moldes que serão usados para a construção das residências. O parlamentar foi informado que os financiamentos estariam com valores exorbitantes, o que comprometeria boa parte do salário, inclusive dos soldados da PM que possuem o menor salário da categoria. “Um policial relatou que, na simulação, a parcela de sua casa ficaria em torno de R$1.200,00 e isto não é aceitável”, detalhou Boabaid.

Alguns praças da Polícia Militar que estavam na reunião afirmaram que, do jeito que a coisa está, beneficiará apenas os oficiais, que possuem salário alto. “Nós não vamos permitir que isto ocorra. Vamos à Câmara de Vereadores cobrar para que não seja aprovado o projeto de lei pedindo a prorrogação do prazo para a construção do condomínio, não com estes valores atuais”, disse um dos policiais.

Boabaid afirmou que continuará acompanhando os trâmites deste processo e que estará, como sempre, buscando o que for melhor para a categoria militar.

FONTE: ALE/RO – DECOM – Assessoria 
Foto: Assessoria 

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *