Timão: Árabes se irritam e Andrés terá de pagar caro para ter Carille de volta

Escrito por
Atualizado: dezembro 1, 2018

Al Wehda não aceita a liberação do treinador. E nem quer saber de jogadores fracos como compensação. Exige total da multa

Aliados de Andrés Sanchez tinham a certeza. A volta de Fábio Carille ao clube.

Só que a situação não é tão simples. Os dirigentes árabes do Al Wehda também têm objetivo.

Não ofereceu dois anos de contrato ao treinador e se sujeitou a pagar cerca de R$ 1,1 milhão a cada 30 dias à toa.

Há um projeto de conquistas. A equipe é quarta colocada no Campeonato Árabe.

Havia a esperança de uma profunda modernização do futebol do clube. Por isso, aceitou que Carille levasse grande parte da Comissão Técnica campeã brasileira de 2017 e bicampeã paulista, em 2017 e 2018.

Carille aceitou ir para a Arábia Saudita em maio. Antes de fechar, ele procurou Andrés Sanchez. Como fez quando foi assediado pelo Atlético Mineiro e Flamengo. O presidente corintiano ao saber que o treinador ganharia cerca de quatro vezes o que recebia no Corinthians, R$ 300 mil, apenas desejou boa sorte. Disse que não teria como competir.

Andrés acreditava que Osmar Loss poderia repetir tranquilamente o trabalho de Carille. O presidente corintiano tem, por convicção, apostar muito mais nos jogadores do que nos treinadores.

Diante do desmanche que o dirigente promoveu, o trabalho do inexperiente Loss foi um desastre. Nem a vivência de Jair Ventura no Botafogo, clube que vive cercado de dificuldades financeiras, foi suficiente. Seu trabalho está sendo fraquíssimo.

Daí a busca por Paulo Pitombeira, agente de Carille.

Conversaram em Londres e o dirigente pediu arrego.

Quer o técnico de volta.

Pitombeira disse que ira fazer o máximo.

Iria conversar com Carille e que faria uma reunião no Brasil.

O encontro aconteceu na noite de ontem.

E o resultado não foi o que Andrés esperava.

Os árabes querem receber o que está no contrato.

FONTE: R7.COM

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.