Esporte

No Calcio, a Internazionale devasta o Brescia, 6 X 0, e segue na briga no Italiano

Com show do chileno Alexis Sánchez, a equipe de Antonio Conte sobe aos 64 pontos e continua no encalço da Lazio, nos 68, e da líder Juventus, nos 72

Continua acelerada a marcha da Juventus e da Lazio na briga pelo título do Campeonato Italiano de 2019/20. Na terça-feira, dia 30 de Junho, a “Senhora” sobrepujou o Genoa por 3 X 1, a “Águia” suplantou o Torino por 2 X 1, e daí, respectivamente, assumiram os 72 e os 68 pontos na tabela de classificação. Tal circunstância levou ao limite máximo a importância, para a Internazionale, a terceira colocada, 61, da sua peleja desta quarta, dia 1º de Julho, diante do Brescia – “meno male” que um adversário no papel o mais fraco do torneio, na última posição, 18. E, de fato, o Brescia inexistiu no combate, Inter 6 X 0.

Penta-ganhadora do “scudetto”, de 2005/06 a 2009/10, antes do sucesso do Milan em 2010/11 e antes dos oito triunfos consecutivos da Juve, a Inter, ou a “Biscione”, serpente mitológica da Lombardia, hoje propriedade de um grupo chinês, o Suning Commerce, vive uma temporada de frustrações. Contratou o cotadíssimo treinador Antonio Conte, vencedor com a Juve nos três primeiros dos oito lauréis, campeão inglês com o Chelsea em 2016/17, segundo melhor do mundo na eleição da FIFA em 2017. E mesmo recheadérrima de astros não passou da etapa elementar de grupos da presente Champions League.

Meramente repescada na Europa League, ainda necessita superar o Getafe da Espanha na fase das oitavas-de final. No “Nazionale” da Bota, até o dia 8 de Março, rodada 27, quando tinha 57 pontos e a Juve estava nos 60, batalhava cabeça a cabeça pelo topo da classificação. Ocorreu então o confronto direto, vitória da “Senhora” por 2 X 0. Desde tal infortúnio a “Biscione” apenas somou quatro pontos –  para os nove da Lázio e os doze da “bianconera”. Crucial superar o Brescia e preservar algumas ralas esperanças de luta pelo troféu maior. Foi tão simples como se esperava. Em 20’ a Inter esboçou o perfil da partida e, nos restantes 70, exclusivamente complementou o seu projeto.

Na verdade, se esgotaram logo aos 5’ as esperanças vãs que ainda animavam as “Rondinelle”, as andorinhas alvi-azuis do treinador Diego Lopez: o alçamento do chileno Alexis Sánchez e o voleio de Ashley Young, 1 X 0. Aos 20’, um passe precioso de Sánchez para Moses no miolo da área e a intervenção desastrada de Moteju, um penal que o ala chileno, já o craque da partida, converteu, 2 X 0. Fulgurante, mesmo, Sánchez, que também engendraria a linda jogada do terceiro gol, aos 45, belo toque a Young, cruzamento para a testada impecável de D’Ambrosio. E o segundo tempo acabou por se desenrolar exageradamente além de protocolar. Aos 52’, a infração cobrada por Sánchez e a cabeçada perfeita de Gagliardini, 4 X 0. Enfim, aos 83’, quando o placar já parecia bem sedimentado, o arqueiro Joronen rebateu mal um tiro de Lukaku e Eriksen pegou a sobra, 5 X 0. Pobre Joronen, sofreria mais um padecimento, aos 88, petardo seco, cruzado, de esquerda, Candreva, 6 X 0.

Ao centro, o craque da partida, Alexis Sánchez

Resumo do certame, em sua rodada de número 28: agora a Inter com 64 pontos, a quatro da Lazio e a oito da Juve, sete à frente da Atalanta, a “Deusa” de Bérgamo, com 57. A “Deusa”, no entanto, ainda atua nesta quinta-feira, dia 2 de Julho, no encerramento da “giornata”. Empreitada árdua será a sua. Embora em casa, pegará o Napoli, nos 45 pontos, embalado pela conquista recente da “Coppa Italia”, exatamente sobre a “Senhora”. Sem dizer que o “Burro” da Terra da Pizza, hoje numa sexta posição que lhe garante vaga da Europa League, segue a sonhar com a possibilidade de talvez furtar a quinta colocação da Roma, 48 pontos e, no mesmo dia 2, um prélio bem difícil contra a Udinese, 28, acuada no limiar da zona de queda. Até sem platéias o velho Calcio, sim, ainda tem como emocionar os seus milhões de “tifosi”.

FONTE: R7.COM

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com