Esporte

Maior salário de jogador do Brasil, decepção tem nome e é Daniel Alves do São Paulo

Dono de 40 títulos, foi contratado a peso de ouro para fazer o São Paulo campeão. Prometeu. Mas tem sido uma frustração. Como contra o Mirassol

“Daniel Alves, maior salário do Brasil.

“Dava pra comprar a cidade de Mirassol.

“Muita balada Good Crazy.

“Veio pra quebrar o SPFC ou ser campeão?”

A revolta da Torcida Independente com Daniel Alves foi muito mais além do que essa citação nas suas redes sociais, após a eliminação de ontem, do Campeonato Paulista, pelo humilde Mirassol.

Ele foi o jogador mais xingado pelo grupo de torcedores que esperou o time deixar o Morumbi, ontem à noite. E foi até o CT da Barra Funda.

A Polícia Militar teve de dispersar o grupo.

Acabou o encanto.

O jogador de 37 anos disse que voltou ao Brasil, jogar no time que ama, para trazer os ‘ensinamentos dos grandes times que atuou na Europa, principalmente o Barcelona. Iria ‘modernizar’ o São Paulo.

Daniel Alves chegou prometendo títulos, modernidade, ensinamentos...

“Acredito que posso trazer esse aprendizado de muitos anos fora, várias ideologias de treinamento e clubes. O futebol moderno joga com extremos.”

“Eu sempre digo aos companheiros que o lateral é o amigo de todas as posições. Nós temos de contribuir com os meias, com os defensores, com os atacantes. Temos de entender a demanda dos companheiros”, dizia.

“Estamos contratando o melhor lateral do mundo”, comemorava Raí.

Só que tudo já começou errado.

A primeira exigência de Daniel Alves foi não jogar como lateral no São Paulo. Só na Seleção Brasileira. No clube, seria um meio-campo, armador, sem necessidade de marcar.

Além disso, indicava o veterano lateral espanhol Juanfran para jogar na posição que seria sua.

O técnico Cuca achou o pedido uma ‘aberração’. Ousou enfrentá-lo, escalá-lo na lateral. Mediu forças. A diretoria ficou ao lado de Daniel Alves. O treinador foi demitido.

Daniel Alves, camisa 10, meio-campo, e capitão do time, indicou Fernando Diniz como treinador. “É o melhor, o mais moderno, o de conceitos europeus no Brasil”, garantiu o jogador.

Como primeira medida, Diniz efetivou Daniel Alves como meio-campista, como ele queria, Juanfran foi para a lateral direita e ponto final.

A assessoria de imprensa de Daniel Alves se apressou em divulgar que ele é o jogador com mais títulos na história do futebol mundial.

Nada menos do que 40.

Sensacional perspectiva para o São Paulo, clube em jejum desde 2012.

“Vim para ser campeão pelo meu time de coração”, prometeu.

Derrotas no Brasileiro fizeram o time despencar. Sexta colocação foi frustrante

No Brasileiro, o São Paulo, a duras penas, conseguiu ser apenas o sexto colocado.

Ontem era o seu primeiro jogo eliminatório com a camisa tricolor.

No Paulista, o vexame histórico de ontem, eliminado pelo humilde Mirassol, que havia dispensado 18 jogadores, por conta do final de contrato. Oito titulares. O Paulista teve de esperar quatro meses para voltar, pela pandemia do coronavírus.

E Daniel Alves foi um dos piores em campo. Praticamente só cobrou faltas para a área do time interiorano e corria para o banco, para falar com Fernando Diniz.

Atuação lastimável.

Como meio-campo, suas atuações são medíocres. Jamais teria sucesso na Seleção ou no futebol internacional como volante, que não marca, e meia que não arma.

E, ainda pior:  força a escalação de Juanfran na lateral direita, jogador limitadíssimo.

Daniel Alves tem o maior salário do futebol brasileiro, R$ 1,5 milhão a cada 30 dias. Tem contrato de três anos. E bônus, prêmio especial, em caso de conquistas.

Camisas encalhadas, nenhum patrocinador para dividir o maior salário do país

A diretoria do São Paulo tinha certeza que haveria filas de empresas querendo pagar o salário do jogador. Pelo direito de usar sua imagem em propagandas.

Não surgiu nenhuma.

O clube acumula dívidas de mais de R$ 300 milhões. Não só reduziu, como atrasou salários em 2020.

Mas mantém o veterano mais bem pago da história do futebol brasileiro.

A venda de suas camisas 10 também é um fracasso.

Ele não se tornou o ídolo que a diretoria esperava.

Na derrota de ontem, sua alegada personalidade forte não veio à tona.

Não falou uma palavra, não deu entrevista.

Não se manifestou até agora, início da manhã seguinte à eliminação.

E ele é o capitão, se posiciona como o líder do time…

Nas vitórias, ele sempre foi rapidíssimo em postar.

Sua última postagem no Instagram: “Dias de luta dias de glória, é assim que se resumem as boas histórias!!!

Antes do jogo contra o Mirassol. Depois, nenhuma palavra.

Durante a pandemia, ele participou de inúmeras lives.

Deixou claro que seu sonho é virar cantor, após o futebol.

Em uma delas, com o jornalista Alê Oliveira, ele teve de escolher o melhor treinador, entre Guardiola, Tite e Fernando Diniz.

“Escolheu Fernando Diniz.”

E também o melhor jogador do Brasil.

Não titubeou na resposta.

“Eu!”

Pois o ‘melhor jogador do Brasil’, o mais caro deste país, também se tornou a maior decepção.

Eliminado pelo Mirassol.

E calado.

Esse é o grande líder que o São Paulo contratou.

Egocêntrico, pode até não suportar a cobrança.

E ir embora do Morumbi.

Depois de um ano de fracassos…

FONTE: R7.COM

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com