Esporte

Fluminense joga mal e é derrotado pelo Figueirense na Copa do Brasil

Em reedição de final da edição de 2007, no Orlando Scarpelli, Tricolor mostra desorganização e perde por 1 a 0; Alemão marca para os catarinenses

Na reedição da final da Copa do Brasil de 2007, o Fluminense não lembrou em nada o time campeão daquela edição. Com uma atuação pouco inspirada, o Tricolor foi derrotado por 1 a 0 pelo Figueirense, nesta quarta-feira, no Orlando Scaperlli, em Florianópolis (SC). O zagueiro Alemão marcou pelos donos da casa.

Com a vitória no primeiro jogo da terceira fase da Copa do Brasil 2020, o Figueirense leva a vantagem do empate para o Maracanã. Não há gol fora qualificado. A partida de volta acontece na próxima quinta-feira, às 21h30, no Maracanã. Mas antes, o Fluminense tem o clássico contra o Vasco, no domingo, às 18h, também no maior palco do futebol brasileiro.

MAL NA DEFESA…
O primeiro tempo não foi bom para os cariocas. Com uma escalação teoricamente ofensiva, o Tricolor oferecia espaço no meio-campo ao Figueira, que por ali contra-atacava. Assim, Marquinho, ex-Flu, arriscou de longe e assustou Muriel. Com pouca ajuda, restava a Hudson e Gilberto apelar para as faltas. Ambos levaram amarelo cedo e correram riscos de expulsão.

E TAMBÉM NO ATAQUE
Na frente, o quarteto de ataque também não funcionava. Desta forma, Odair moveu as peças, e Evanilson, por exemplo, caiu pela direita. As mudanças não fizeram muita diferença, e as primeiras finalizações vieram apenas aos 46 minutos, em sequência. Primeiro, com Marcos Paulo, de 9, exigindo boa defesa de Sidão, e depois com Nenê, que chutou fraco, nas mãos do goleiro.

FALSA ESPERANÇA
O Fluminense voltou do intervalo marcando mais avançado, e logo aos quatro minutos, Nenê encontrou Marcos Paulo sozinho na área, mas o ‘moleque’ recuou para Sidão. Atrás, a equipe carioca seguia insegura. Muriel, em mais uma saída ruim pelo alto, quase se complicou. Depois, se redimiu com duas defesas seguidas, em chutes de Patrik e Diego Gonçalves, que pegou rebote.

FIGUEIRA PREMIADO
O time da casa era melhor. Aos 28, em lance polêmico, Egídio derrubou Pereira na área, mas nada foi marcado. O maior volume do Figueirense foi premiado 10 minutos depois. Diego Gonçalves foi lançado na ponta esquerda e tocou para Everton. O meia levantou na área, Alemão ganhou de Matheus Feraz pelo alto, e testou forte no ângulo de Muriel: 1 a 0. No lance seguinte, Nenê teve chance de empatar da marca do pênalti, após cruzamento de Pacheco, mas bateu desequilibrado, para fora. No fim, vitória catarinense pela Copa do Brasil.

FIGUEIRENSE 1 X 0 FLUMINENSE

Estádio: Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC)
Data: 11/03/2020, às 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP)
Assistentes: Daniel Luis Marques (SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
Público e renda: Público total: 8.901 Renda: R$ 229.372
Cartões amarelos: Patrick, Elyeser (FIG); Gilberto, Hudson (FLU)
Cartões vermelhos:
FIGUEIRENSE (Técnico: Márcio Coelho)
Sidão; Lucas, Alemão, Pereira e Brunetti; Arouca (Everton, 34’/2ºT) , Patrick, Elyeser (Paulo Ricardo10’/2ºT) e Marquinho (Everton Santos, 43’2ºT); Nicholas; Pedro Lucas e Diego Gonçalves.
FLUMINENSE (Técnico: Odair Hellmann)
Muriel; Gilberto (Igor Julião, intervalo), Nino, Matheus Ferraz e Egídio; Hudson, Yago e Nenê; Wellington Silva (Ganso, 39’/2ºT), Evanilson e Marcos Paulo (Fernando Pacheco, 20’/2ºT)

 

FONTE: LANCE

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com