Eleição para prefeito vai custar mais de 5 milhões, crê especialista – Por Gessi Taborda

Escrito por
Atualizado: novembro 11, 2019

FILOSOFANDO

“A Justiça brasileira foi ferida de morte com a abertura das prisões em favor dos chefões do crime organizado por decisão do STF. Desmoralizou-se o próprio país no plano internacional. Deram um facada nas costas do povo brasileiro, covardia idêntica à do Adélio Bispo no atentado a Bolsonaro”. Gessi Taborda, jornalista aposentado.

EDITORIALZIM

Fiquei apenas uma semana sem publicar a coluna (em virtude de uma gripe fortíssima) e vivi no repouso forçado o exemplo mais bizarro da época de incertezas crescentes na política brazuca. É para relembrar a observação de Magalhães Pinto sobre a política, “que muda como nuvem”.

A libertação de Lula – juntamente com seus asseclas – pela decisão do STF proibir a prisão de condenados em segunda instância, coroou o grande objetivo de Ministros ligados ao lulopetismo. Lula, José Dirceu e outros corruptos de igual calibre estão fora do xadrez e articulando, como dizem, a tomada do Poder pela força importando táticas usadas agora no Chile, como afirmam.

Mais do que libertar políticos corruptos, a decisão abre as portas da cadeia para milhares de outros condenados, inclusive líderes de perigosas facções do crime organizado. Também eles ganharam o direito de recorrer em liberdade até esgotar todas as possibilidades de recursos na lentíssima justiça do país.

O lulopetismo e seus satélites não pensam no Brasil. Essa é a realidade. São perigosos por serem capazes de tudo para tomar o Poder, especialmente nesse momento em que sabem não contar com o apoio do povo brasileiro que não aceita retornar ao atraso capa de converter o país numa Venezuela ou numa Cuba.

E por isso a soltura do condenado Lula não vai contribuir em nada para o resgate do PT nas eleições do ano vindouro ou de 2022, como imaginam os membros da seita lulista. A grande maioria dos brasileiros não querem correr o risco de retrocessos. Não se aceita mais o tempo da roubalheira dos recursos brasileiros, como bilhões desviados para ditaduras tipo Cuba, Venezuela, Angola e tantas outras. O povo na sua peculiar inteligência vai rechaçar os eventuais candidatos do petismo ou de seus satélites. Podem escrever.

E não faço essa afirmação sem lastro eleitoral. Foi assim na última disputa. O poste do Lula até tentou esconder o símbolo do partido na campanha; tentou se desvencilhar da imagem do próprio Lula e nem assim teve sucesso eleitoral. Foi um fiasco na disputa. É o que vai se repetir no próximo ano, na disputa municipal, e depois na sucessão presidencial.

Aqui não se repetirá o acontecido na Argentina. Entre os Hermanos o povo tem sido refém da mentira socialista solidificada com o peronismo e porque Macri não conseguiu tirar o país do caos criado pelo governo de Cristina Kirchner. É claro que o discurso do poste de Cristina, de solução dos problemas argentinos, criados pelos próprios kirchneritas, não passou de falácia.

O Brasil vive uma situação diferente. O país avança em todos os indicadores que medem seus índices econômicos, sociais, de segurança pública. Lentamente, porque o estrago feito pelas gestões anteriores é quase de terra-arrasada.

Apesar do barulho provocado agora pela esquerda e por seus lacaios, especialmente o segmento da mídia amestrada, o lulopetismo não volta ao poder. Os brasileiros de bem tomaram as rédeas do pais e não há Supremo capaz de anular essa vontade nacional.

Se querem fazer comparações com o cenário internacional na América do Sul, estamos mais para o que a acontece na Bolívia, onde o povo rejeita Evo Morales do que o resultado da eleição argentina. O canto ensaiado pelos petistas de tomar o Poder de qualquer jeito não ecoa no seio dos brasileiros de bem. Estão se movimentando como desesperados imaginando colocar de novo a esquerda corrupta e mesquinha no Poder. Não, isso não vai acontecer. No próximo ano até nos grotões quem defende a desconstrução do Brasil vai ser outra vez jogado no lixo pela força do voto dos brasileiros.

OTIMISMO

Mais empregos e investimentos nos pequenos negócios. O cenário otimista foi retratado pela Sondagem Conjuntural, realizada pelo Sebrae no mês de setembro. O estudo mostra a retomada do otimismo entre os donos de micro e pequenas empresas com os rumos da economia do país.

A sondagem apontou ainda que seis em cada 10 empresários (58%) têm planos de investir no próprio negócio em 12 meses. A sondagem, que ouviu quase três mil empreendedores, também revelou que 79% dos entrevistados que têm dificuldades em contratar mão de obra especializada optam por contratar pessoas inexperientes e capacitam no próprio estabelecimento – o que comprova que as micro e pequenas empresas têm sido responsáveis não apenas pela geração de postos de trabalho, mas também pela formação de mão de obra no Brasil.

INVESTIMENTOS

O prefeito da capital rondoniense, Porto Velho, está em viagem oficial à Coréia do Sul. Hildon Chaves foi assinar o protocolo de cidade irmã naquele país. Acompanhado de líderes do empresariado portovelhense, o prefeito vai buscar parcerias para investimentos em infraestrutura no município. Setores como saúde, transporte, agricultura podem ser atrativos para investidores coreanos que irão conhecer com detalhes as potencialidades do município da capital rondoniense. Além de acordos de caráter cultural, com intercâmbios entre Porto Velho e a Coreia do Sul, o viés comercial é foco especial na agenda do prefeito.

VEREADORES

Não será fácil renovar o mandato mas vereadores mais ousados de Porto Velho já se lançam candidatos para a disputa do ano próximo. Há edil afirmando estar pronto para disputar até o cargo de prefeito.

PREÇO

Não vai ser fácil disputar a prefeitura. A campanha para se chegar ao paço municipal de Porto Velho, avalia especialista, não sairá por menos de 5 milhões de reais, e esse dinheiro tem que ser arrecadado com documentos de doação, ou se a pessoa for autossuficiente para isso financeiramente.

FAVORÁVEL

Prefeito Hildon Chaves  sinaliza ser a favor a reforma tributária, cujo anexo já passou em 1º turno no Senado.

DESEMPREGO

Forte ameaça de desemprego no setor bancário. A rebordosa deve chegar ao estado de Rondônia. Segundo fonte, o Bradesco já fechou cinquenta unidades bancárias e pretende fechar mais 100 ainda este ano e para 2020 pretende encerrar atividades de mais 300 agências, acredita na era digital para esse tipo de negócio. Vai ser um Deus nos acuda. Aqui em Rondônia ninguém do Sindicato dos Bancários se pronunciou.

ALÍVIO

Aqui a mídia quase não explorou a situação de nossos corruptos depois da decisão do STF impedindo a prisão antes de esgotados os últimos recursos. Com certeza os rondonienses envolvidos no crime do colarinho branco estão aliviados. Acredita-se que esse é o caso do ex-senador Valdir Raupp. Ele chegou a ter cogitado um pedido de prisão. Agora, dono de dinheiro suficiente para recorrer infinitamente nas instâncias judiciais poderá aguardar em liberdade até, quem sabe, a prescrição da sua possível pena. Para quem tem dinheiro será possível escapar se manter longe da cadeia com os famigerados recursos protelatórios.

CABIDE

Os órgãos públicos voltados para o fomento da cultura em Rondônia, ou pelo menos na capital do estado, continua funcionando apenas como grandes cabides de emprego. Instituições como a Casa da Cultura Ivan Marrocos e até o Teatro Estadual não consegue obter relevância no setor. Parece não ter curadores capazes. Sem agenda de eventos marcantes servem apenas para garantir empregos a apaniguados e nada mais.

FARSA

Gilmar Mendes em seu livro “Curso de Direito Constitucional” defende a prisão em segunda instância. Em 2016, votou a favor, no julgamento da liminar da ADC 43. Agora, na decisão do mérito, votou contra a prisão em segunda instância. Ou seja, sua convicção jurídica é movediça, ninguém pode confiar nela.

AUTOR: GESSI TABORDA –  COLUNISTA EM LINHAS GERAIS

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.