Prefeito Hildon Chaves visita área ribeirinha e tranquiliza moradores

Escrito por
Atualizado: Janeiro 13, 2018

Dr Hildon Chaves afirmou que a prefeitura está preparada para atender as famílias que forem impactadas pela cheia do Madeira

Preocupado com a possibilidade de uma nova enchente histórica, a exemplo da que ocorreu em 2014, o prefeito de Porto Velho, dr Hildon Chaves, visitou na manhã desta sexta-feira (12) os distritos de São Carlos, Nazaré e Calama no baixo Madeira, além de sobrevoar de helicóptero toda área ribeirinha. Ele estava acompanhado dos responsáveis pela Defesa Civil Estadual e Municipal, Felipe Chianca e Marcelo dos Santos respectivamente.

No início da tarde o prefeito concedeu entrevista coletiva em seu gabinete e apresentou o Plano de Contingência elaborado com antecedência pela Defesa Civil Municipal. Ele garantiu que por enquanto não há motivos para preocupações e que a prefeitura está preparada para agir em caso de uma nova grande cheia. Nesta sexta o nível do rio chegou a 3,80 metros, mas baixou para 3,60 metros, sendo que o estado de alerta é decretado aos 14 metros, mas apenas como medida de precaução.

“Percebemos uma apreensão muito grande da população porque ainda persiste o trauma de 2014. Estatisticamente é improvável a ocorrência de um evento semelhante agora. Segundo especialistas o prazo de recorrência é de 300 anos, mas a prefeitura de Porto Velho está preparada para ocorrência de eventos dessa natureza. Elaboramos um plano de contingência relacionado a enchente de 2018, estamos com equipes prontas, famílias potencialmente atingidas mapeadas e identificadas. Enfim, estamos preparados”, afirmou o prefeito.

 

No próximo dia 23, dr Hildon e técnicos da Defesa Civil Municipal e Estadual se reunirão com a equipe do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), ocasião em que terão novos prognósticos da elevação do nível do Madeira para os próximos 90 dias. “Até esse dia não há motivos para maiores preocupações. Nossa preocupação tem sido em planejar, manter o Município preparado para uma eventual ocorrência e isso demanda antecedência”, acrescentou.

Dados da Defesa Civil atestam que as comunidades ribeirinhas do baixo Madeira começam a ser inundadas quando o nível das águas atingir 17 metros. A prefeitura, no entanto, está fazendo o monitoramento do rio a cada 15 minutos para avisar as famílias com antecedência. “Conter as águas não é possível, mas estamos preparados com a Defesa Civil Estadual e Municipal para minorar qualquer dano”, enfatizou mais uma vez dr Hildon Chaves.

Para tanto, cerca de 80 barracas grandes foram deixadas no distrito de Nazaré para atender a população com maior rapidez em caso de necessidade. O prefeito também determinou a cotação de registro de preços de vários item que poderão ser utilizados para atender as famílias que vierem a ser afetadas, a exemplo de cestas básicas, colchonetes, água mineral, kits de higiene e de primeiros socorros, entre outros.

Fonte: Comdecom

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *