Parceria público-privada fortalece ações para instalação de aviário em Espigão do Oeste

Escrito por
Atualizado: agosto 3, 2017

A equipe da Emater-RO de Espigão do Oeste acompanhou de perto a instalação do primeiro alojamento de pintinhos de corte na propriedade do agricultor familiar Jober Ril. Animado com o projeto, que considera audacioso, Ril afirma que o investimento trará novos horizontes para ele e sua família. O investimento foi viabilizado com recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e contribuiu para a criação de novas oportunidades de trabalho.

A implantação do aviário na propriedade da família Ril foi o único financiado com recursos do Pronaf no estado de Rondônia pelo Banco da Amazônia em integração com grupo Globoaves, em Espigão do Oeste.  “Foi um grande desafio para as partes envolvidas desde a elaboração do projeto, em 2015, adequação do projeto no orçamento previsto e assistência técnica constante da empresa que acompanhou a implantação até a aprovação final da construção agora em 2017”, explica o extensionista da Emater-RO, Samuel Borges.

A propriedade da família Ril é uma propriedade com pouca aptidão para pecuária e a inclusão produtiva através da implantação de um aviário veio ao encontro de seus anseios produtivos. A avicultura comercial criou novas oportunidades de trabalho, como por exemplo, para o jovem rural, filho do casal, Rian Ril, recém formado em técnicas agrícolas, que agora pode aplicar seu aprendizado na propriedade da família.

Produção tecnificada e profissionalizada para os agricultores.
Produção tecnificada e profissionalizada para os agricultores.

A parceria público-privada, que integra indústria e avicultores, tem apresentado excelentes resultados em Espigão do Oeste, onde o grupo Globoaves está instalado. Na integração, os avicultores oferecem a infraestrutura (o espaço na propriedade com água e energia elétrica) e a mão de obra e o grupo subsidia os insumos (ração, vacinas e medicamentos) necessários ao bem estar animal. O ciclo de produção começa a partir do alojamento dos pintinhos e dura cerca de 40 dias até o abate.

Para o extensionista da Emater-RO, a parceria público-privada foi um sucesso para execução de projetos dessa natureza, pois “é inovador e traz produção tecnificada e profissionalizada” aos agricultores familiares. O acompanhamento técnico especializado da empresa integradora, somado à assistência técnica oferecida pelo governo estadual através da Emater-RO proporciona um manejo adequado dos frangos do confinamento, em larga escala e bom desenvolvimento, resultando em grande produção de proteína animal. “Esse é um fator determinante na remuneração do produtor e lhe trará boa lucratividade para o sustento da família”.

Fonte: EMATER-RO

Comentar

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *