12º Road Show de Agronegócio 2018: Jornalistas visitam AGV Logístico principal operador de vacinas para saúde animal

Escrito por
Atualizado: março 13, 2018

O primeiro dia de programação da 12º Road Show de Agronegócio para jornalistas de todo Brasil começou hoje (12/03) em Vinhedo/SP, visitando AGV – Armazéns Gerais Vinhedo principal operador logístico especializado onde sai todas as vacinas contra a febre aftosa usadas no Brasil.  São em média de 500 milhões de doses anuais, todas certificadas para saúde animal.

A AGV presta serviço para a Central de Selagem de Vacinas que foi criado pela Instrução Normativa 229, de 7 de Dezembro de 1998 (D.O.U., 04/01/1999), da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Seus objetivos principais são:

  • Autenticação: aposição de selo holográfico de segurança e auto destrutivo, em todos os frascos de vacina contra febre aftosa produzidos no Brasil pelos laboratórios participantes. O selo é aprovado pelo MAPA

Rastreabilidade: preparo de relatórios estatísticos para fornecer aos responsáveis pelo Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA/MAPA) a localização exata da utilização dessa vacina no Brasil, separados por estados e municípios. Com isso, é possível controlar, com eficiência, o desempenho do Programa e corrigir possíveis falhas.

A Central de Selagem de Vacinas tem a supervisão do SINDAN ( Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal)   e dos laboratórios, providencia selagem, armazenagem e entrega da vacina. A comercialização, o faturamento e a distribuição são inerentes a cada laboratório fabricante.

AGV tem como portfólio a produção de vacinas como:

Vacinas contra Brucelose – O Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose Animal (PNCEBT) foi instituído em 2001 pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) com o objetivo de diminuir o impacto negativo dessas zoonoses na saúde humana e animal, além de promover a competitividade da pecuária nacional.

O PNCEBT introduziu a vacinação obrigatória contra a brucelose bovina e bubalina em todo o território nacional.

O Sindan e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) firmaram compromissos para a rastreabilidade da vacina contra a brucelose pela Central de Selagem de Vacinas (AGV – Vinhedo/SP).

Nesse processo, os laboratórios fabricantes fornecem informações sobre a produção e a distribuição da vacina em nível nacional.

Raiva dos Herbívoros – Considerando os objetivos, metas e atividades do Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH), previstos nas “Normas Técnicas para o Controle da Raiva dos Herbívoros Domésticos”, aprovadas pela Instrução Normativa nº 5, de 01.03.2020, a Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do MAPA publicou a IN 69, de 13.12.2002, que determinou o uso de um selo de garantia (holográfico) em todos os frascos de vacinas contra a raiva dos herbívoros das partidas aprovadas e liberadas para comercialização pelo Ministério, de forma a assegurar sua conformidade com as normas de controle da produção e comercialização de vacinas contra a raiva dos herbívoros no Brasil.

Além disso, diz a IN que o selo de garantia utilizado pelos laboratórios fabricantes e estabelecimentos importadores das vacinas contra raiva dos herbívoros foi previamente aprovado pelo Departamento de Defesa Animal da DAS, tendo características de resistência e inviolabilidade.

A partir da data de entrada em vigor da Instrução Normativa, a comercialização e o emprego de vacinas contra a raiva dos herbívoros somente são autorizados quando os frascos contiverem o selo de garantia afixado na rotulagem.

Esta IN foi publicada considerando que:

. A comercialização e a distribuição de produtos de uso veterinário são de responsabilidade da iniciativa privada, obedecendo à regulamentação específica

. A necessidade de otimizar o sistema de armazenamento e distribuição das vacinas contra a raiva dos herbívoros, em todo o território nacional

. A necessidade de contar com dados estatísticos atualizados sobre a distribuição desse imunógeno para apoiar as ações da Coordenação de Vigilância e Programas Sanitários e a Coordenação de Fiscalização de Produtos Veterinários.

Em entrevista para a Folha Rondoniense, o cientista Dr Emilio Salani, especialista mundial de febre aftosa. Ele diz que  declarar RO\AC área livre de aftosa sem vacinação em 05\2019 é prematuro, precisa o Governo Federal oferecer mais garantias de proteção ao rebanho bovino de Rondônia

AUTOR: MARCIO MARTINS

FONTE: PORTO VELHO NEWS

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.