Senador Ivo Cassol defende assentamentos agrícolas próximos às grandes cidades

Escrito por
Atualizado: maio 8, 2018

Numa audiência púbica nesta terça-feira (8) na Comissão de Agricultura do Senado, que discutiu a reforma agrária, o senador Ivo Cassol (Progressistas-RO) defendeu a implantação de assentamentos agrícolas próximos aos grandes centros. A ideia segundo o senador é facilitar o escoamento e garantir competitividade a produção.

Cassol alertou que muitas vezes, o governo federal assenta as famílias em localidades distantes na Amazônia e no Pará, por exemplo, e o produtor fica sem viabilidade econômica de manter o negócio. “Muitas vezes o custo do frete não paga o que o agricultor investe para tirar o alimento da terra”, disse.

 O senador defendeu a criação de um cinturão verde em volta das cidades para que essas famílias sejam assentadas e tenham condições de vender seus produtos. “Se eu tivesse caneta do presidente da República eu não assentava essas famílias na Amazônia, assentaria num cinturão em volta das cidades, para que eles tivessem qualidade de vida e permanecessem no manejo da terra”, enfatizou.

Cassol também destacou que a vocação dos assentamentos rurais é a agricultura familiar. “É notável o papel da agricultura familiar no Brasil. 70 a 80% do produto que está na mesa do brasileiro vem da agricultura familiar”, afirmou.

Técnicos do governo ouvidos durante a audiência pública confirmaram a dificuldade que o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) vem sofrendo nos últimos anos. Os especialistas apontaram que os cortes no orçamento e também de pessoal, tem gerado drástica redução no número de famílias assentadas nos últimos anos. Outra observação é de que para garantir a viabilidade de um assentamento é preciso investimento em estradas, escolas e postos de saúde, além de financiamento para o plantio, melhorias que não vem sendo realizadas pelo governo.

 

 

 

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.