O Abraço da Serpente: Perseguido pelo governo que ajudou a eleger, Jaime Bagattoli deixa o PSL

Escrito por
Atualizado: outubro 4, 2019

O Candidato ao senado da República pelo PSL no pleito de 2018, onde conseguiu expressivos 212 mil votos, e uma das maiores lideranças do partido no estado, o empresário do agronegócio Jaime Bagattoli, comunicou oficialmente a direção Regional da Sigla, o seu pedido de desfiliação partidária

Bagattoli foi citado para se defender em pedido de condenação com a expulsão do partido em 27 de Setembro, e na  sua  resposta ao pedido relata que que se filiou ao Partido e sempre buscou ser um companheiro em suas lutas, obedecendo suas regras partidárias, e estatuto, mas que sempre se sentiu perseguido tanto pela direção estadual como pela direção municipal.

Bagattoli relata que que nas eleições para o senado da República, antes mesmo do registro de sua candidatura o atual governador Marcos Rocha, na época presidente Regional da Sigla tentava por todos os meios sabotá-la.

Continuando, Jaime Bagattoli, disse que foi feito uma reunião em sua residência com o presidente regional Marcos Rocha e o secretario Jose Armando Bueno, onde foram tratados de aporte financeiro para início da  mídia da campanha  e como não concordou,  foi surpreendido com um ofício da executiva regional dizendo que não haveria espaço para que ele saísse candidato ao senado pela sigla (No final).

Bagattoli, disse que Marcos Rocha falou que fora induzido pelo ex secretário geral Jose Bueno a assinar a carta dizendo de sua desfiliação.

Disse também que após a convenção partidária fez um aporte financeiro no valor de 600 Mil Reais a todos os candidatos a cargos eletivos, distribuídos equitativamente, conforme consta em sua declaração financeira de candidato, e que este fato desagradou a executiva do PSL no estado.

Falou que para ajudar na candidatura de Marcos Rocha, juntamente com vários companheiros conseguiram convencer o empresário Zé da Jodan a abdicar de sua candidatura em prol do nome de Marcos Rocha, e que Jodan seria indicado como candidato a vice-governador, o que Jodan concordou fato esse que o ingrato do governador eleito Marcos Rocha esqueceu.

Relata também que sua campanha foi sabotada na capital e que apesar disso consegui ter mais votos que o governador Marcos Rocha, fato esse que deixou o governador eleito enciumado.

Sem o apoio financeiro e político de Jaime Bagattoli e seu grupo político Marcos Rocha seria mais um na multidão em Rondônia, e nunca teria se elegido governador do Estado.

Marcos Rocha depois de eleito se esqueceu do grupo político que o elegeu, se ajuntou coma velha política e faz um governo mixuruca, sem plano de governo, que só sabe administrar o dia a dia

Bagattoli não sabe ainda para onde vai, nem se sairá candidato a prefeito de Vilhena, se limitando a dizer que a hora é de analisar os fatos, para depois tomar a melhor atitude

Da Redação Folha

Autor Jornalista Gomes Oliveira

Vejam Pedido de desfiliação e explicação de Jaime Bagattoli

tra

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.