Incidência da doença em Porto Velho é maior entre homens heterossexuais

Escrito por
Atualizado: dezembro 6, 2017

Mais de 200 novos casos foram diagnosticados este ano no Município; teste rápido é uma das formas de diagnosticar a doença

De acordo com o levantamento do Serviço de Atendimento Especializado (SAE), órgão da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), de 2013 a 2017, foram cadastrados 3.941 pacientes com HIV em Porto Velho. Destes, 2.350 fazem uso da terapia de anti-retroviral.

Os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) apontam que a maioria diagnosticada dos casos de HIV-AIDS é de homens heterossexuais, um total de 1.682. Na sequência estão os homossexuais com 502 casos registrados de 2007 a 2017.

Dos mais de três mil pacientes, 370 abandonaram o tratamento e outros 387 faleceram em decorrência da doença. Ainda existem 50 crianças infectadas por transmissão vertical, que recebem acompanhamento até os dois anos de idade, além de 17 gestantes com HIV.

A principal forma de prevenção a Aids é o uso do preservativo em todas as relações sexuais. A camisinha está disponível nas unidades básicas de saúde. A Semusa tem reforçado as ações de prevenção a doença e a ampliação do acesso ao diagnóstico rápido. Toda unidade básica de saúde está capacitada para fazer o teste rápido para HIV, sífilis e hepatite B e C. Quando o resultado é positivo é recomendado que a pessoa faça um novo teste.

Caso o resultado seja positivo, o paciente é encaminhado para o SAE, onde a equipe multidisciplinar com psicólogos, assistentes sociais, médicos e enfermeiros fazem as orientações necessárias para adesão ao tratamento, além de acolhimento e aconselhamento da pessoa infectada.

Treinamento

Durante esta semana os profissionais que trabalham na atenção básica, responsáveis pelo teste rápido, passaram por um treinamento sobre a utilização do sistema que mantém o banco de dados, Sisloglab, de testes rápidos atualizado e interligado. Assim será possível para o ministério da saúde ter os registros que retratam a realidade dos testes em todo o país.

Este ano foram realizados 53.780 testes rápidos nas unidades de saúde de Porto Velho. E foram diagnosticados 208 novos casos de HIV. A Semusa, através do núcleo de Doenças Sexualmente Transmissíveis organizou uma programação para lembrar o dia mundial de luta contra a Aids – primeiro de dezembro. Cerca de quatro mil testes serão entregues durante a campanha, além da distribuição de preservativos e orientações sobre a prevenção a doença.

“Nós trabalhamos com a prevenção, tratamento e diagnóstico na atenção básica. Dar suporte, acompanhamento, monitoramento e melhorar o acesso as pessoas. E condições técnicas aos profissionais para que o teste tenha a maior eficacia possível”, lembrou Raymison Correa da Silva, coordenador do núcleo.

Programação

Nesta quinta-feira (30), técnicos da Semusa e do Ministério da Saúde farão uma visita as oito horas na Unidade de saúde Manoel Amorim de Matos. E na sexta, dia 1º de dezembro, haverá a abertura oficial da campanha intitulada “é melhor prevenir do que remediar”, também as oito horas no SAE, que fica na rua Duque de Caxias nº 1960, bairro São Cristóvão.

Fonte: Semusa

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *