Safra de cana do Brasil começa com maior produção de etanol, diz Unica

Escrito por
Atualizado: maio 13, 2019

A moagem na segunda quinzena de abril ficou 16,5% abaixo do volume processado na mesma época de 2018

A moagem de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somou 31,56 milhões de toneladas na segunda metade de abril, volume 16,5% abaixo das 37,81 milhões de toneladas processadas no mesmo período na safra 2018/2019. Os dados são do levantamento quinzenal elaborado pela União da Agroindústria Canavieira (Unica).

Segundo a entidade, mesmo com uma redução na oferta de matéria-prima, em virtude das condições climáticas adversas que alteraram a programação de início das unidades produtoras, a safra segue mais alcooleira do que no último ciclo.

O levantamento mostra que da quantidade total de cana-de-açúcar processada na quinzena, apenas 30,83% foi destinada à fabricação de açúcar, ante os 35,57% registrados na mesma data de 2018. A produção de açúcar retraiu 32,68% nos últimos quinze dias de abril de 2019, atingindo 1,03 milhão de toneladas.

O diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, afirma que se a produção de açúcar por tonelada de cana nesse ano tivesse sido mantida, o total produzido atingiria quase 1,70 milhão de toneladas. “Em outras palavras, cerca 325 mil toneladas de açúcar deixaram de ser fabricadas em função da reversão do mix de produção para etanol”, disse ele.

A produção de etanol totalizou 1,49 bilhão de litros na segunda quinzena de abril, ante 1,75 bilhão fabricados em igual período do ciclo 2018/2019. Do total produzido esse ano, 1,17 bilhão de litros foram de etanol hidratado e 318,46 milhões de litros de etanol anidro, com ambos registrando retrações de 10,69% e 28,56%, respectivamente.

Segundo a Unica, no acumulado até 30 de abril a moagem alcançou 45,42 milhões de toneladas (redução de 24,50% na comparação com igual período do ciclo 2018/2019), com a fabricação de 1,37 milhão de toneladas de açúcar (-38,90%), 392,70 milhões de litros de etanol anidro (-32,60%) e 1,83 bilhão de litros de etanol hidratado (-15,57%).

Milho

Do total de etanol produzido, 50,30 milhões de litros foram de etanol fabricado a partir de milho. No acumulado desde o início do atual ciclo agrícola, a fabricação de etanol de milho alcançou 99,37 milhões de litros, com crescimento de 68,81% em relação ao volume registrado no mesmo período da safra 2018/2019.

Em relação ao número de usinas em operação, nesse ano 216 empresas registraram moagem até dia 30 de abril, versus 233 unidades industriais em igual data do último ano. A expectativa é de que 27 empresas devem iniciar o processamento na safra 2019/2020 na primeira quinzena de maio.

As vendas internas de etanol anidro totalizaram 312,76 milhões de litros na segunda quinzena de abril de 2019, contra 322,05 milhões de litros em igual período da safra passada. “Os volumes entregues de anidro e hidratado pelos produtores do Centro-Sul já começam a incorporar as transferências para o consumo na região Norte-Nordeste do País.”

No acumulado da safra, as vendas de etanol pelo Centro-Sul somaram 2,50 bilhões de litros – 1,83 bilhão de hidratado e 666,61 milhões de anidro. Daquele total, 54,86 milhões de litros foram para exportação e 2,45 bilhões para o mercado interno – com destaque para as vendas domésticas de hidratado que registraram aumento acumulado de 35,94% sobre o último ano safra.

Curte o conteúdo da Globo Rural? Ele também está no Globo Mais. Nesse aplicativo você tem acesso a um conteúdo exclusivo e às edições das melhores publicações do Brasil. Cadastre-se agora e experimente 30 dias grátis.

FONTE: GLOBO RURAL

Comentar

Print Friendly, PDF & Email

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.