Agronegócio

Acúmulo de leite nas glândulas mamárias durante secagem gera desconforto às vacas, alerta especialista

“Meu avô era dedicado ao cuidado com os bovinos e fazia questão de me levar junto quando ia tratar os animais. Eu ainda era criança quando ele faleceu. Seu carinho, porém, despertou em mim um sonho: o de ser veterinário”, conta Clério Antônio Hoefle. Hoje, com 31 anos, Clério nasceu em Romelândia e foi criado em Cunha Porã. Vive e trabalha em Chapecó.

 “O contato com bovinos sempre foi uma realidade na minha família, já que meus pais também trabalhavam com a criação de bovinos em sua propriedade. Assim, sempre estive envolvido nas atividades da pecuária de leite. Meu sonho se concretizou em 2011, quando me formei em medicina veterinária no campus Xanxerê da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc). Em seguida, me especializei em produção e qualidade do leite”, relata.

Casado com Marina, com quem tem uma filha (Maria Luiza, de 5 meses), o veterinário também é mestre em zootecnia. Em sua atuação por fazendas do Sul do Brasil, ele tem observado alguns desafios na produção de leite, em propriedades de todos os portes. Um desses desafios é o manejo correto da secagem do leite em vacas, respeitando o “período seco” de lactação de 45 a 60 dias.

“O momento da secagem é um período de muito estresse para a vaca. O acúmulo de leite na glândula mamária gera desconforto para o animal. Para evitar esse problema, temos utilizado com muito sucesso Velactis, medicamento que bloqueia a produção de prolactina, interrompe a produção de leite e impede o desconforto causado pelo excesso de leite nas glândulas mamárias da vaca”, afirma Clério.

Velactis é o primeiro e único facilitador de secagem do mercado brasileiro. Produto da Ceva Saúde Animal, reduz em 81% o gotejamento de leite e diminui em 21% o risco de infecções mamárias, segundo estudos. “Antes do uso de Velactis, muitos animais apresentavam vazamento do leite. Por isso, o medicamento é uma solução importante para o manejo ideal da secagem”, destaca o especialista.

Vendedor técnico de campo da Ceva, Josenei Sartor conhece bem Clério Antônio Hoefle e destaca a eficiência do veterinário. “Ele atua na Asserpec Assessoria Pecuária e tem uma mente inovadora. Na realização de seus trabalhos, está sempre em busca do melhor para os clientes e os animais. Ele entendeu a funcionalidade de Velactis e, agora, está colhendo resultados bastante positivos”, aponta Sartor.

FONTE: ASSESSORIA TEXTO COMUNICAÇÃO

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com