Agronegócio

A atenção dos produtores aos desafios fitossanitários do trigo

O plantio do trigo está começando e a BRANDT, uma das maiores fornecedoras de fertilizantes especiais do mundo, oferece recomendações importantes para os agricultores alcançarem a melhor produtividade possível. “A cultura do trigo adapta-se bem em climas mais amenos e com chuvas mais espaçadas. O primeiro desafio é o fluxo ideal de chuva. Sabe-se que o volume necessário para a cultura é de 450 a 800 milímetros durante todo o ciclo”, destaca Pedro Afonso, técnico de desenvolvimento de mercado da BRANDT do Brasil.

Um grande volume de chuvas durante a emergência interfere na germinação, podendo causar a morte do embrião, tendo maior importância no espigamento, quando as anteras ficam expostas, sendo uma espécie de “porta de entrada” para patógenos. Já na colheita, o fator de germinação na espiga pode interferir na qualidade do grão, elevando o índice de micotoxinas. “O principal fungo associado às micotoxinas é o Fusarium, que pode infectar a planta desde o florescimento perdurando até o enchimento de grãos, prejudicando principalmente seu grau de qualidade e, consequentemente, preço de mercado. Sendo essa apenas uma das inúmeras doenças que podem atingir a cultura,  tornando necessário aplicações de fungicidas para o seu controle, buscando o aumento da eficiência passou-se a usar produtos protetivos multissítios associados aos fungicidas padrões”, alerta Pedro Afonso.

“Outra dificuldade encontrada no manejo da cultura e que está entre os principais desafios fitossanitários, sendo também um fator limitante do potencial de rendimento do trigo, são os problemas com infestações de plantas daninhas, que para o seu controle deve se fazer a aplicação de herbicidas específicos, para não prejudicar a cultura principal e eliminar a mato competição. Mesmo assim, o trigo pode sofrer perdas por fitotoxicidade decorrente dessas aplicações”, informa o técnico da BRANDT do Brasil.

“Trata-se de uma cultura exigente em seu desenvolvimento, desde o controle de plantas daninhas, pragas e doenças até a nutrição. Esses são os fatores fundamentais para atingir altas médias de produtividade e qualidade dos grãos”, complementa o especialista.

A produção brasileira de trigo é estimada em 5,4 milhões de toneladas na safra 2019/2020, com estimativa de área de 1,98 milhão de hectares. Esse volume não é suficiente para atender à demanda interna. Por isso, o Brasil é um dos maiores importadores globais de trigo, adquirindo mais de 7 milhões de toneladas por ano, especialmente da Argentina. O Paraná responde por cerca de 50% da produção nacional.

“Apesar de o trigo poder representar boa renda para os produtores, observamos redução na área plantada de trigo no Brasil nos últimos anos. Temos um potencial de retorno econômico, porém é uma cultura de alto risco, elevado investimento e competição com o trigo argentino”, enfatiza Samuel Guerreiro, diretor técnico da BRANDT.

A BRANDT oferece tecnologias exclusivas aos triticultores. É o caso da tecnologia BRANDT Smart System, cujos micronutrientes e demais compostos foram projetados para a rápida absorção e translocação, o que permite que as culturas acessem e comecem a usá-los imediatamente. Nutrir e estimular o metabolismo das plantas no momento ideal e da forma correta resultará em mais sanidade natural, entregando maior rendimento final. BRANDT Smart Trio é destaque, pois se trata de produto recomendado em aplicação conjunta com herbicidas, a fim de mitigar a fitotoxicidade, entregando nutrição de alta qualidade. Outro produto de relevância da tecnologia BRANDT Smart System é o BRANDT Smart Cobre, com sua exclusiva formulação, especialmente desenvolvida para manter o cobre altamente solúvel e prontamente disponível para a planta, auxiliando na formação de lignina nas paredes celulares e indução de fitoalexinas, contribuindo com a resistência estrutural da planta contra patógenos.

Além dessas, temos a tecnologia BRANDT Manni-Plex, cujos  produtos auxiliam a planta a atingir seu total potencial genético, garantindo a absorção e translocação do nutriente utilizado, corrigindo as deficiências nutritivas, proporcionando o desenvolvimento de maiores sistemas radiculares e o fortalecimento do sistema imunológico da planta, com a ampliação de importantes funções fisiológicas, como divisão celular, metabolismo do nitrogênio, utilização de carboidrato, fixação do nitrogênio, nodulação nas raízes, fotossíntese, floração e frutificação. Destaque para Manni-Plex B-Moly, que contém Boro e Molibdênio com mobilidade via xilema e floema, e Manni-Plex K, com formulação mais eficiente do que outras de potássio.

“Essas tecnologias garantem que cada nutriente aplicado será utilizado pela planta e revertido em produtividade. Contamos ainda com Nitrogênio Líquido, representado por BRANDT N3200, fertilizante com concentração e pH ideais para absorção, além de rápida assimilação do nitrogênio, presente nas formas nítrica, amoniacal e amídica. A combinação das três formas aumenta a eficiência da absorção do nutriente e a economia de energia pela planta, também reduzindo perdas por nitrificação e volatilização. Além de nutrir, a BRANDT auxilia a entrega da melhor aplicação dos defensivos agrícolas com sua linha única de adjuvantes”, finaliza Samuel Guerreiro.

Mais informações, acesse: www.brandtbrasil.com ou www.facebook.com/brandtbrasil/

FONTE: ASSESSORIA TEXTO COMUNICAÇÃO

Comentar

Print Friendly, PDF & Email
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com